Exposição “Sussurro dos Rios”, Belém-PA – Segunda Etapa

Adesivo Fosco em PVC 2mm 1x066m

_

 

Hiper_Espaços Xumucuís [Guamá/Jaguaribe] – Segunda Etapa

Contemplado no edital Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais 10a Edição, é uma iniciativa do blog Xumucuís,  com apoio institucional do Fórum Landi e UFPA, parceria A Senda, Casa Fora do Eixo Amazônia e Glocal Arts, em uma realização Funarte e Ministério da Cultura.

_

 

Serviço:

Fórum Landi, Cidade Velha, Belém-Pará – Atelier aberto de 16 a 21/06, de 09 às 17h

Bate-papo (Pós-TV) com os participantes do projeto dia 23/06 às 18h

Exposição “Sussurro dos Rios”, abertura dia 23/06 às 19h como visitação até 27/07/2014

 

 

Hiper_Espaços Xumucuís – Etapa Belém

Projeto Belem  - Flyer

Após uma expedição de duas semanas em João Pessoa (PB) onde foi realizada vivência artística, ciclo de bate-papos, oficinas e exposição (veja aqui), “Hiper_Espaço Xumucuís” realiza em Belém a segunda etapa do projeto entre 16 e 27 de junho de 2014. Na primeira etapa artistas visuais paraenses foram para a vivência na capital do estado da Paraíba, e juntaram-se a um grupo de artistas paraibanos, entre os dias 05 e 14 de maio, para experimentações diversas de arte e vida que resultaram na exposição coletiva em cartaz na Estação Ciência Cultura e Artes, em João Pessoa no período de maio a junho. Nesta segunda etapa, em seu curso inverso, onde artistas paraibanos vem a Belém para vivenciar a cidade e os rios que a cercam, criando, interagindo com artistas e o público local na sede do Fórum Landi, na Cidade Velha, será realizado o atelier aberto, os bate-papos e a exposição de trabalhos. Segundo Deyse Marinho, museóloga e coordenadora do projeto “nesse atelier todos, artistas e público, são bem-vindos para acompanhar o processo de criação artística, da gênese criativa, materialização da obra, até o momento de sua exposição”.

Os artistas visuais Edilson Parra e Thercles Silva, juntamente com o curador associado ao projeto Dyógenes Chaves, desembarcam pela primeira vez em Belém para viver a efervecência artística, social e cultural da cidade. Eles se juntam em Belém aos artistas Fábio Graf e Jeyson Martins, que participaram da etapa João Pessoa, mais Cledyr Pinheiro, Veronique Isabelle e Diogo Vianna, em um atelier aberto na sede do Fórum Landi entre os dias 16 e 21 de Junho (Segunda a Domingo). Desta nova vivência artística e dos intercâmbios será montada a exposição “Sussurro dos Rios”, que abre dia 23.06 no mesmo espaço.

Comenta sobre o projeto Edilson Parra, na expectativa da vivência  “O contato com o norte do Brasil sempre foi algo presente em meus sonhos, pois considero que  nesta região se encontra a última parcela do nosso planeta, em condições de se observar os nichos diversos que mantém a natureza na sua mais pura complexidade. Foi com este entendimento que vivenciei entre muitos diálogos com os artistas de Belém do Pará a dimensão da problemática que envolve a morte de um rio, conforme constatamos em uma das visitas ao Jaguaribe em nossa cidade.”

O idealizador e curador do projeto, Ramiro Quaresma, fala que o projeto “é uma iniciativa para conectar duas regiões do País, duas cidades, de realidades tão diferentes e tão próximas. Estimular e provocar essa interação artística foi uma grande experiência curatorial e humana”. O projeto tem como tema a relação das cidades e os rios que a cercam, as questões ambientais e sociais dessa interação, preservação versus “desenvolvimento”. Os rios Guamá, em Belém, e Jaguaribe, em João Pessoa, são o referencial imagético para o projeto, suas delicadas relações periféricas de ocupação, onde um conflito se instaurou. Os artistas escolhidos pra participar do projeto tem uma relação muito próxima deste universo líquido de cores e sentidos.

Contemplado no edital Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais 10a Edição, é uma iniciativa do blog Xumucuís,  com apoio institucional do Fórum Landi e UFPA, parceria A Senda, Casa Fora do Eixo Amazônia e Glocal Arts, em uma realização Funarte e Ministério da Cultura.

 


Serviço:

Hiper_Espaços Xumucuís [Guamá/Jaguaribe] – Segunda Etapa

Fórum Landi, Cidade Velha, Belém-Pará – Atelier aberto de 16 a 21/06, de 09 às 17h

Bate-papo (Pós-TV) com os participantes do projeto dia 23/06 às 18h

Exposição “Sussurro dos Rios”, abertura dia 23/06 às 19h como visitação até 27/07/2014

 

 

Biografia dos participantes:


Ramiro Quaresma é mestrando em Artes, PPGARTES-ICA-UFPA, possui graduação em Comunicação Social – hab. Publicidade e Propaganda pela Universidade da Amazônia (1999). Pesquisa arte e tecnologia e suas aplicações em artes visuais e preservação do patrimônio audiovisual. É curador independente/ pesquisador de artes visuais/artemídia e cinema. Idealizou os blogs Xumucuís e Cinemateca Paraense. Contemplado em 2014 no programa Rede Artes Visuais Funarte 10° Edição e em 2013 no Conexões Artes Visuais MINC-Funarte. Idealizou e realizou o I (Oi Futuro), II (Conexão MINC/Funarte/Petrobras) e III (Oi Futuro) Salão Xumucuis de Arte Digital, a exposição Panorama da Arte Digital no Pará (Prêmio Banco da Amazônia de Artes Visuais – 2012) e o projeto “Cinema no Pará:História e Memória” (Edital Projetos Culturais Banco da Amazônia – 2012). Entre 2002 e 2008 trabalhou como coordenador multimídia, projetos culturais e design gráfico para o Sistema Integrado de Museus da SECULT-PA para o Museu da Imagem e do Som, Museu do Estado do Pará e Espaço Cultural Casa das Onze Janelas.

Dyógenes Chaves vive e trabalha em João Pessoa-PB desde 1966. Artista visual, designer gráfico e de moda, gravador, crítico de arte (ABCA/AICA) e curador independente. Cursos de iniciação (história da arte, desenho e pintura) na Coordenação de Extensão Cultural da Universidade Federal da Paraíba-Coex/ UFPB (João Pessoa, 1974-75) e de desenho e gravura na Fundação Espaço Cultural da Paraíba-Funesc (João Pessoa, 1984). Bolsa de Estudos (Ministére des Affaires Étrangères/ França) na École Supérieure des Beaux Arts Luminy (Marselha/ França, 1997-98). Professor do Curso de Produção em Moda (Funetec/ IFPB) e do Curso Superior de Moda (Unipê). É consultor do Sebrae-PB na área de Estamparia têxtil. Ex-coordenador de artes plásticas da Funesc (João Pessoa, 1993-2010) e ex-diretor da Galeria Archidy Picado. Curador das Bienais de Gravura e de Desenho (Fenart, João Pessoa), coordenador de intercâmbio internacional das associações Le Hors-Là Paraíba (Brasil-França) e REDE (Brasil-Suíça). Avaliador do Programa BNB de Cultura (Artes visuais, 2009-2011) e do Funcultura (Artes visuais, Fundarpe, Recife, 2011). Atuou como jurado e palestrante em diversos Salões e Fóruns de Artes Visuais. Editor das revistas (Artes visuais) Segunda Pessoa e Cadernos de Cultura (João Pessoa). Colaborador (Artes visuais) nos jornais O Norte e A União/ Correio das Artes (João Pessoa, 2005-2010), e no jornal da ABCA. Organizou o livro Núcleo de Arte Contemporânea da Paraíba-NAC (Coleção Fala de Artista/ Edições Funarte, Rio de Janeiro, 2004) e publicou: Dicionário das Artes Visuais na Paraíba (Fundo Municipal de Cultural-FMC/ Funjope/Edições Linha D’Água, João Pessoa, 2010) e 2005-2010 – Ensaios sobre Artes Visuais na Paraíba (Programa de Cultura BNB/ BNDES, 2OU4 Editora, João Pessoa, 2013). Membro do Colegiado Setorial de Artes Visuais-CSAV/ MinC (2005-2009 e 2010-2011). Suplente do CSAV no Conselho Nacional de Política Cultural-CNPC/ MinC (2010-2011). Membro do Colegiado Setorial de Moda- CSM/ MinC (2012-2013).

Deyse Marinho é museóloga (UFPA), pesquisadora de artes visuais e produtora cultural. Coordenadora Geral e Designer das três edições do Salão Xumucuís de Arte Digital, do Panorama da Arte Digital no Pará e da Exposição “Sussurro dos Rios” (João Pessoa – PB). Idealizadora do projeto “Acervos em Movimento: Os Museus do Pará e Suas Coleções”, contemplado do Edital de Projetos Culturais do Banco da Amazônia (2012).

Edilson Parra é formado em Filosofia, trabalha com materiais e técnicas diversas. Desenvolve pesquisas sobre armas e armadilhas o que serve como suporte para fundamentação da sua produção em artes visuais. Participa do intercâmbio Brasil/França, tendo inclusive realizado residência artística em Marseille. Atualmente é também Coordenador de Artes Visuais na Fundação Espaço Cultural de João Pessoa/PB.

Thercles Silva é natural de Campina Grande (PB), mas vive na cidade de João Pessoa há 20 anos. Cursou Educação Física na Universidade Federal da Paraíba e rumou para as lentes nesse período. Atualmente ele vem retratando o seu cotidiano através de imagens enigmáticas geradas a partir da fotografia equirectangular, nas quais expõe ao observador ambientes em 360º.  E esta característica lhe rendeu uma citação na Fotografia Paraibana Revista (2013), a qual o menciona como sendo um dos representantes da novíssima geração de fotógrafos paraibanos que imprimem inventividade e inquietação à fotografia, utilizando-se de ferramentas tecnológicas, que fazem a diferença, pois resgatam o sentido primordial da contemplação de uma imagem, salvando da banalidade do clique fácil e de uma fruição fast food. Em dezembro de 2013, foi patrocinado pelo Consulado Francês para realizar um intercâmbio cultural, onde pode conhecer a cidade de Marseille/FR e artistas que fizeram parte da Associação Le Hors-Là, responsável, durante 20 anos, pelo intercâmbio de artistas entre França e Brasil.

Jeyson Martins é publicitário, formado em Comunicação Social (UFPA), designer gráfico e fotógrafo. Trabalha com suportes híbridos entre a fotografia e o grafite. Fez as exposições individuais “Interlúdio” (Gotazkaen) e “Olhar Urbano” (Galeria Theodoro Braga). Participou do Movimento HotSpot (2013) na categoria fotografia sendo um dos finalistas. É oficineiro da Associação Fotoativa.

Véronique ISABELLE realiza uma pesquisa poética com a pintura, a gravura e a instalação. Originária de Québec, no Canadá, ela trabalha agora principalmente em Belém. Ela é mestre em Antropologia Social pelo PPGA / Universidade Federal do Pará e doutoranda pelo PPGSA. Ela tem uma graduação em Artes Visuais pela Universidade Laval (Québec) e pela École Supérieure des Beaux-Arts de Marseille (França). Ela tem participado de várias exposições em Quebec, na França, em Belém e São Paulo e vários projetos de colaboração com artistas, instituições locais e diversas comunidades. Principais Exposições : Exposições solos: “Larguer les Amarres” -2005,  “Le quai et l’écho -2008 na Galerie 67, em Québec (Canadá), “Paisagens engolidas” – 2013 na Casa Rosada em Belém.  Exposições Coletivas : “Beautifull Étranger” – 2006 na Galeria Mongrand em Marselha, França; 26° Simpósio Internacional de Arte Contemporânea de Baie-St-Paul -2008 (Canadá); “Realidades Transitórias” – 2008, apresentada na Casa das 11 Janelas, em Belém. “Gravura contemporânea no Para”- CCBEU, em Belém – 2011 “Vento Norte” na Galeria Brasileira, em São Paulo – 2012. Exposiçoes em duo com Elaine Arruda: “Paná Paná”, na Galeria Théodoro Braga; “Entre nós” na Fotoativa– 2010; SP Estampa; XXX Salão Arte Pará como artistas convidadas – 2011; organizou e participou do projeto “Coletiva/Coletivos” reunindo três exposições coletivas e ciclos de conferência ; Ela participou ativamente do coletivo do Atelier do Porto 2010-2013; Curadoria do projeto “do Norte ao Norte” com artistas canadenses no Brasil – 2014.

Diogo Vianna é fotografo e artista multimídia. Idealizador do projeto Ciclos, que percorreu todas as capitais da Amazônia registrando a relação do homem com a bicicleta. Realizou exposições individuas em Belém, Macapá e Londres. Trabalha com video e projeção mapeada. Assistente Cultural da Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves.

Cledyr Pinheiro nasceu em Catolé do Rocha (PB). Autodidata, já fez 5 exposições individuais, foi bolsista do Instituto de Artes do Pará -IAP e participou em 1997 do Salão Arte Pará.  Tem obras nos acervos Pinacoteca do Estado – Manaus – AM.; Casa da Cultura – Manaus – AM.; SEBRAE Nacional – Brasília – DF.;Museu do Estado – Belém – PA.; Fundação Rômulo Maiorana – Belém – PA.; Universidade da Amazônia – Unama – Belém – Pará e Jardim das Esculturas – Instituto de Artes do Pará – IAP – Belém – PA.

Fábio Graf é natural de Belém do Pará. Faz parte do Coletivo Cosp Tinta, movimento pioneiro no grafite na capital paraense,e do Coletivo Casa  Preta, que trabalha com afro desenvolvimento e tecnologia. Oficineiro dos projetos Biizu (Secom) e Circuito das Artes (FCPTN). Já participou de projetos de arte urbana em várias estados do país como Maranhão, Paraíba, Bahia, Brasília, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

Artistas visuais paraenses em expedição

 

“Rio/ de muitos nomes/ Ser/ de muitas formas e fomes” esse trecho do livro “Porantim”, do poeta e professor de estética João de Jesus Paes Loureiro, foi a nascente desse projeto que tem na relação das cidades com seus rios e as periferias em suas margens sua proposta artística. Segundo Ramiro Quaresma, curador e idealizador do projeto “a arte como uma expedição sempre foi um projeto-sonho nosso, quando começamos o blog Xumucuís (do tupi, sussurro das águas). Depois de três edições do Salão de Arte Digital, vamos concretizar esse projeto criando um hiper_espaço conectando o Pará e a Paraíba, não apenas no ciberespaço, mas em uma experiência vivencial de múltiplas linguagens artísticas”.

 

O projeto «Hiper_Espaço Xumucuís [Guamá, Jaguaribe]», contemplado no Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais 10a Edição, fará um intercâmbio entre artistas visuais do estado do Pará e da Paraíba e tem na exposição «Sussurro dos Rios: Guamá/Jaguaribe» sua mostra de resultados e nas experimentações em grafite + pixo, fotografia + estêncil, pintura + intervenção e live cinema + mapping, com jovens artistas/instrutores paraenses. A exposição será pensada e montada de forma colaborativa na oficina “Curadoria em Multimeios” no próprio espaço expositivo. A primeira etapa acontece em João Pessoa na Paraíba no mês de maio em vários espaços da cidade e em junho em Belém no processo inverso. “Conhecemos pela internet vários artistas e produtores paraibanos, constatamos que pouco ou nada se sabia dos caminhos das artes visuais um do outro e esse projeto de intercâmbio pretende criar um link de arte e vida entre os participantes” diz Deyse Marinho, museóloga e coordenadora de produção do projeto.

A exposição tem curadoria de Ramiro Quaresma e Dyógenes Chaves, curadores do Pará e da Paraíba respectivamente, com os artistas Fábio Graf, Jeyson Martins, João Cirilo e Rodrigo Sabbá, que se juntarão a artistas paraibanos no projeto a partir das vivências em João Pessoa. A proposta curatorial é juntar artistas de múltiplas linguagens, que trabalhem em processos híbridos de criação artística com intervenção urbana, e proporcionar o surgimento de obras, individuais e coletivas, das oficinas no espaço Energisa, nas vivências no Espaço Mundo, para a exposição na Galeria da Estação Cabo Branco a ser aberta em 13 de maio de 2014. Em junho será a segunda etapa do projeto em Belém, onde artistas paraibanos selecionados entre as vivências virão a Belém para um novo ciclo de oficinas e exposição. Todas as atividades do evento são gratuitas. A única oficina com pré-requisitos de currículo para inscrição é “Curadoria e Multimeios”, as outras são abertas a todos os interessados com idades a partir dos 14 anos.

Projeto Paraiba Final Novo

«Hiper_Espaço Xumucuís [Guamá, Jaguaribe]» é uma realização Xumucuís, com apoio institucional da Prefeitura de João Pessoa, Estação Cabo Branco, Energisa, Espaço Cultural Energisa e Espaço Mundo, parceria Fora do Eixo e Varadero, em uma realização Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais 10a Edição, Funarte, Ministério da Cultura e Governo Federal.

 

 

SERVIÇO

 

Oficinas

 “Pintura + Intervenção Urbana” com João Cirilo

05 a 09/05 das 09 às 12h – Espaço Energisa

20 vagas

 

“Grafite + Pixo” com Fábio Graf

05 a 09/05 das 09 às 12h – Espaço Energisa

20 vagas

 

“Pinhole + Estêncil” com Jeyson Martins

05 a 09/05 das 14 às 17h – Espaço Energisa

20 vagas

 

“Live Cinema + Mapping” com Rodrigo Sabbá

05 a 09/05 das 14 às 17h – Espaço Energisa

20 vagas

 

“Curadoria em Multimeios” com Ramiro Quaresma

12 a 13/05 das 9 às 12h e 14 às 18h – Estação Cabo Branco

20 vagas

Bate-papo (Pós-tv) e vivências – Espaço Mundo

07, 08 e 09/05 a partir das 19h.

 

Exposição – Estação Cabo Branco

Abertura – 13 de Maio às 19h

 

Informações

xumucuis@gmail.com / (91) 8239 2476

 

Funarte lança quatro editais de artes visuais

Inscrições estão abertas para o Prêmio Marcantonio Vilaça, Prêmio Marc Ferrez de Fotografia, Rede Nacional Artes Visuais e Bolsa de Estímulo à Produção em Artes Visuais

A Funarte está com inscrições abertas, até 1º de outubro, para o Prêmio de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça, XII Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia, Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais – 9ª Edição e Bolsa Funarte de Estímulo à Produção em Artes Visuais. A portaria foi publicada no Diário Oficial da União de hoje, 16 de agosto de 2012.

Prêmio de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça – O edital visa incentivar produções artísticas destinadas ao acervo das instituições museológicas públicas e privadas sem fins lucrativos, fomentando a difusão e a criação das artes visuais no Brasil e sua consequente formação de público. Serão contemplados 15 projetos, com premiações de R$ 70 mil a R$ 350 mil.

XII Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia – O objetivo é estimular a valorização da linguagem fotográfica por meio de produção, pesquisa, criação, reflexão, documentação e circulação, contribuindo assim para a consolidação de um campo específico da fotografia no âmbito da economia da cultura. Serão contemplados 45 projetos, no valor de R$ 50 mil cada, distribuídos em três módulos: inéditos de criação, documentação e produção de reflexão crítica sobre fotografia, visando à difusão, ao fomento, à reflexão e à produção fotográfica.

Programa Rede Nacional Funarte Artes – 9ª Edição – O edital visa fomentar a reflexão e o debate sobre as artes visuais, desenvolver instrumentos de capacitação para artistas e técnicos do setor e promover a circulação dos profissionais da área por todo o país, além de estimular a formação de público. Serão selecionados 30 projetos que promovam o intercâmbio inter-regional por meio de um conjunto amplo de atividades e experimentações ligadas às artes visuais, tais como: oficinas artísticas, oficinas de qualificação, workshops, palestras, performances, instalações, novas mídias, seminários, intervenções, exposições, atividades pedagógicas e pesquisa de linguagem. O valor da premiação para cada contemplado é de R$ 100 mil.

Bolsa Funarte de Estímulo à Produção em Artes Visuais – O objetivo é fomentar a formação de artistas e demais profissionais das artes visuais e a produção de arte contemporânea brasileira, dando possibilidades às experimentações das linguagens, de técnicas e de poéticas, além de estimular a reflexão e o debate sobre as artes visuais. Serão selecionados dez projetos na categoria Bolsa Estímulo à Criação Artística e cinco na categoria Bolsa Estímulo à Produção Crítica. Cada contemplado receberá R$ 40 mil.

Acesse abaixo os editais e anexos:

Prêmio de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça
XII Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia
Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais – 9ª Edição
Bolsa Funarte de Estímulo à Produção em Artes Visuais