Lançamento do III Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia e do catálogo 2011

Lançamento do III Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia e do catálogo 2011

 

No dia 1° de fevereiro, quarta, às 19h, acontecerá o coquetel de lançamento da terceira edição do Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia, com o tema “Memórias da Imagem”, e do catálogo da edição de 2011, que teve o tema “Crônicas Urbanas”.

Durante o evento, no Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, a vencedora do Prêmio Diário do Pará de 2011, Roberta Carvalho, projetará nos jardins a sua obra Symbiosis. Ela fará ainda a doação de uma obra ao Museu da Universidade Federal do Pará, iniciativa que concretiza um dos grandes objetivos do Prêmio: a contribuição para a formação de acervos.

 

O catálogo

 

            O catálogo do Prêmio de 2011 reúne os trabalhos dos 21 artistas selecionados naquela edição, entre eles os três premiados – Silas de Paula (CE, Prêmio Crônicas Urbanas), Leonardo Sette (PE, Prêmio Diário Contemporâneo) e Roberta Carvalho (PA) – e ainda fotografias da mostra convidada do ano passado, Diários da Cidade, integrada por obras de fotojornalistas do jornal Diário do Pará, e a série Solitude, de Luiz Braga, artista convidado da segunda edição.

Além disso, a publicação traz textos do curador do Prêmio, Mariano Klautau Filho, do professor de filosofia Ernani Chaves, da curadora e pesquisadora em arte Marisa Mokarzel e a transcrição do encontro do público com o curador e pesquisador Tadeu Chiarelli (SP), que fez parte da comissão julgadora e abriu a programação de palestras de 2011.

Assim, a intenção do projeto com o catálogo é de que este cumpra o papel não apenas de uma memória do projeto, mas também de fonte de pesquisa sobre a fotografia e a arte contemporânea no Brasil. E com este objetivo a publicação será distribuída a instituições da área, cursos de graduação e pós-graduação em Artes e bibliotecas de todas as regiões do país e também poderá ser visualizada em breve no site do projeto.

 

Memórias da Imagem

De acordo com Mariano Klautau Filho, os temas do Prêmio são sempre “pensados como questão, proposição para o artista”, “é sempre um modo de tratar a fotografia como um meio e linguagem que atua no campo da arte”. Neste ano, o tema Memórias da Imagem “é um modo de pensar a fotografia como uma memória que acontece no aqui e agora. E também pensar nas memórias que nós, ao ver ou produzir imagens, atribuímos a elas”.

O edital de 2012 já está disponível no site www.diariocontemporaneo.com.br e também no escritório do Prêmio (Rua Gaspar Viana, n. 773), no Instituto de Artes do Pará, Casa das Onze Janelas, Associação Fotoativa, Sol Informática e Museu da UFPA. As inscrições podem ser feitas até 18 de fevereiro, gratuitamente. Os artistas devem depositar pessoalmente ou por correio o dossiê e/ou portfólio somente em formato impresso para análise da comissão julgadora, junto com a ficha de inscrição devidamente preenchida.

Serão oferecidos três prêmios no valor de R$10.000,00 cada: Prêmio Memórias da Imagem, Prêmio Diário Contemporâneo e Prêmio Diário do Pará, este último dedicado somente aos artistas do estado. No total, serão selecionados até 23 artistas – incluindo os três premiados – que participarão da Mostra III Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia, na Casa das Onze Janelas, de 28 de março a 27 de maio de 2012.

O projeto é uma realização do jornal Diário do Pará e conta com o patrocínio da Vale e apoio do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas do Sistema Integrado de Museus/Secult-PA, do Museu da UFPA, da Sol Informática e do Instituto de Artes do Pará.

 

Serviço: Dia 1° de fevereiro, quarta-feira, às 19h, coquetel de lançamento do III Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia, com o tema “Memórias da Imagem”, e do catálogo da segunda edição, no Espaço Cultural Casa das Onze Janelas. Na programação, projeção da obra Symbiosis da artista Roberta Carvalho, vencedora do Prêmio Diário do Pará de 2011. Entrada franca. Patrocínio: Vale. Informações: (91) 3184-9327 / (91) 8128-7527.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia

Exposição “Poesia Gravada” de Oswaldo Goeldi, MUFPA

As mais importantes obras de Oswaldo Goeldi (1895-1961), considerado um dos mais representativos nomes brasileiros da gravura em madeira, chegam a Belém para uma exposição inédita, patrocinada pela Vale. Os 50 anos da morte do gravador, desenhista, ilustrador e professor serão relembrados em “Oswaldo Goeldi: poesia gravada”, no Museu da Universidade Federal do Pará (UFPA), de 13 de dezembro a 19 de fevereiro, por meio de gravuras, painéis, objetos, desenhos e livros. A curadoria é de Lani Goeldi, sobrinha-neta do artista e presidente do Projeto Goeldi.

Os visitantes terão a oportunidade de ver 59 gravuras originais (sendo 35 da Pinacoteca do Estado de São Paulo), assinadas pelo artista entre 1927 e 1960, além de desenhos, painéis, objetos, livros ilustrados e um vídeo inédito, especialmente feito para essa exposição. Entre as xilogravuras, estão “Chuva” (cerca de 1957), a mais famosa xilogravura do artista e que encabeça um lista formada por obras como “Auto-retrato” (cerca de 1950), “Tarde” (1950),  “Arraia” (1955) e “O ladrão” (cerca de 1955). “Nesta mostra, será possível observar todas as fases do artista, desde os desenhos até as gravuras em preto-e-branco e coloridas”, explica a curadora Lani Goeldi.

A mostra representa a continuidade das comemorações do cinquentenário do falecimento de Goeldi (1895-1961), que encerrou sua carreira na cidade do Rio de Janeiro. “Ações como essa, encabeçada pelo Projeto Goeldi e patrocinadas pela Vale, têm procurado atingir o maior numero de público possível, difundindo o trabalho desse artista e sua história de vida, aproximando a grandiosidade de sua obra às pessoas que se interessam por cultura”, explica Lani.

Segundo a diretora do Museu da Universidade Federal do Pará, Jussara da Silveira Derenji, é uma honra e prazer enormes abrigar essa exposição, considerando que serão mostrados, além de gravuras, documentos, textos e recortes do artista, os aspectos íntimos e pessoais da personalidade de Goeldi. “Será essa uma oportunidade rara de reaproximação com as obras dele, que viveu sua infância em Belém. Vamos mostrar, de forma abrangente, um trabalho de uma tocante poesia”.

Para José Fernando Gomes, gerente geral de Relações Institucionais da Vale no Pará, uma das principais ações da empresa é a valorização da cultura e das comunidades onde ela atua. “A arte é uma das expressões mais fortes do nosso País”, diz. “Por isso, é muito importante para a Vale patrocinar uma exposição tão especial e poética como esta”.

SERVIÇO:
Exposição “Oswaldo Goeldi: Poesia Gravada”
Abertura para convidados e imprensa: 13 de dezembro (terça-feira), às 19h

Visitação:
 14 de dezembro a 19 de fevereiro
Horário: 9h às 17h (terça a sexta-feira) e 10h às 14h (sábados e domingos), exceto feriados
Local: Museu da Universidade Federal do Pará (UFPA) – Av. Gov. José Malcher, 1192 – Nazaré
Visitas de grupos e escolas: (91) 3242-8340, das 9h às 12h com Julia ou Nilma.
Classificação: livre
Informações: (91) 3224-0874 ou pelo site www.ufpa.br/museufpa/
ENTRADA FRANCA

Fonte: MUFPA

II Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia – Bate-papo “A Fotografia e o Museu Contemporâneo: curadoria e pesquisa”, com Tadeu Chiarelli

Na próxima quinta-feira, dia 10, o II Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia inicia o ciclo de bate-papos com “A Fotografia e o Museu Contemporâneo: curadoria e pesquisa”, trazendo a Belém o curador, pesquisador e crítico de arte Tadeu Chiarelli (foto). Considerado um dos mais atuantes curadores de arte brasileira contemporânea, Tadeu discutirá assuntos como a inserção cada vez mais forte da fotografia na arte contemporânea e o papel cultural que exerce o museu de arte hoje.

A conversa com o público, que inicia às 19h no Museu da UFPA, será conduzida pela crítica e curadora paraense Marisa Mokarzel. Tadeu Chiarelli também é professor do Departamento de Artes Plásticas da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e esteve à frente do MAM-SP – Museu de Arte Moderna de São Paulo entre 1996 e 2000. Tem se dedicado nos últimos anos à pesquisa sobre fotografia na história da arte.

No encontro com o público, Chiarelli irá apresentar obras que fazem parte do acervo do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC-SP) e como este acervo está sendo repensado no novo projeto de mudança espacial do MAC – um dos maiores e mais recentes projetos de museu contemporâneo no Brasil.

PARTICIPE

Bate-papo “A Fotografia e o Museu Contemporâneo: curadoria e pesquisa”, com Tadeu Chiarelli. Mediação: Marisa Mokarzel. Nesta quinta-feira (10), às 19h, no Museu da UFPA. Entrada Franca. Informações: 3224-0871.www.diariocontemporaneo.com.br. Twitter: www.twitter.com/premiodiario

Fonte:  http://www.diariocontemporaneo.com.br/?p=233

Exposição “Entre Páginas” – Museu da UFPA

Exposição “Entre Páginas” – gravuras de Ademir Martins, Carlos Scliar, Caribé, Darel, Di Cavalcanti, Glauco Rodrigues, Iberê Camargo, Perci Deane, Poty, digitalizadas de livros de Graciliano Ramos e Jorge Amado que são do acervo da Biblioteca do Museu da UFPA.