Exposição “COLETIVA DE DEZEMBRO” – Kamara Kó

O calendário de mostras da Kamara Kó de 2012 encerra em meio a uma feira de arte, pensada para celebrar o encontro da produção dos artistas que compõe o elenco da galeria e aproximar as obras do público. Nos próximos dias 1º e 2, as portas se abrem para a Coletiva de Dezembro, um convite para quem deseja conhecer a atual produção do áudio-visual paraense em sua multiplicidade – e adquiri-las a um preço acessível.

Estarão à venda obras avulsas de fotógrafos como Miguel Chikaoka, que em 2012 experimentou um ano de reconhecimento nacional com o Prêmio Brasil de Fotografia, onde foi o artista homenageado, além de receber a Ordem do Mérito Cultural, o maior prêmio na área cultural concedido pelo governo federal.

Flávya Mutran expõe fotografias das séries “There’s No Place Like 127.0.0.1” (2009/2010) e “Egoshot” (2010), frutos das experiências da artista com o mundo virtual, onde a matéria-prima para as obras foram imagens privadas de usuários publicadas nas redes sociais e também vídeos de Youtube .

 Ionaldo Rodrigues integra a coletiva com obras das séries “Carbono 14” e “polígono, nuvem”, ambas de 2012, e as fotografias “Barco” e “Gelo”, de 2007.

A artista visual Danielle Fonseca compõe a exposição com as obras “Caixas-de-Correspondências”, da série “Rumo ao Farol” (2007/2011), e “Pequeno Homero no Rancho Não Posso Me Amofiná”, da série “Mar Absoluto/Retrato Natural” (2010).

Alexandre Sequeira

De Alexandre Sequeira, a mostra exibe imagens de série produzida em 2008, no interior do Pará.  De Pedro Cunha, “Urbana Íris”. Edney Martins expõe “landscape 1”.

 

A Coletiva de Dezembro traz ainda obras de Octávio Cardoso, Guy Veloso, Keyla Sobral, Cláudia Leão, Anita Lima, Roberta Carvalho e Roberto Menezes.

 

Octavio Cardoso

Essa exposição conta com os benefícios da Lei Municipal de Incentivo à Cultura e ao Esporte Amador Tó Teixeira e Guilherme Paraense, com o patrocínio da BLB Eletrônica.

 

Sobre a Kamara Kó

 

A Kamara Kó nasceu no ano de 1991, em Belém (PA), como uma agência de fotografias e vem colaborando na construção de novas possibilidades de desenvolvimento da diversificada e bem conceituada produção fotográfica da região.

 Depois de vinte anos de trajetória, o projeto se desdobrou com a criação da Kamara Kó Galeria, espaço expositivo de difusão, fruição e interlocução na aquisição de obras artísticas, dedicado a colaborar com o crescimento da produção artística local, que transita entre importantes obras visuais no mercado das artes mundo afora.

 No acervo da Kamara Kó Galeria estão obras de representantes da nova e promissora safra da fotografia paraense e de renomados fotógrafos e artistas visuais paraenses contemporâneos, que têm participações em editais, coletivas e salões em diversas cidades brasileiras e também marcam presença em vários países da America Latina, na Europa, nos EUA, Japão, China e em coleções importantes como Pirelli/MASP – Museu de Arte de São Paulo (SP), FNAC (SP), Instituto Itaú Cultural (SP) e Joaquim Paiva de Fotografia Contemporânea Brasileira/ Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (RJ).

  

SERVIÇO

 Abertura da mostra Coletiva de Dezembro, na Kamara Kó Galeria (Travessa Frutuoso Guimarães , 611, Campina), dias 1º e 2 de dezembro, de 10h às 17h.Visitação de 4 a 22 de dezembro, de 15h às 19h, (terça a sexta), e de 10h às 13h (sábados). A exposição é uma realização da Kamara Kó Galeria, com patrocínio da BLB Eletrônica, apoio institucional da Lei Tó Teixeira e Guilherme Paraense, FUMBEL e Prefeitura de Belém. Entrada franca. Informações e agendamentos: 91.32614809 | 91.32614240kamarakogaleria@gmail.com | www.kamarakogaleria.com

Exposição “Ainda Queria Falar de Flores” de Anita Lima / Kamara Kó

Tal qual no poema de Drummond, nas fotografias de Anita Lima rompem flores do asfalto. É a delicadeza improvável. Em sua primeira mostra individual, a artista captura fragmentos urbanos que parecem negar a turbulência do cotidiano das cidades grandes. Nas imagens, o verde das plantas em meio ao burburinho cinza do cenário de concreto compõe a série “Ainda Queria Falar de Flores”, em exposição a partir do dia 10 maio, na Kamara Kó Galeria.

A natureza imersa na corriqueira atmosfera cosmopolita dá indícios de uma terceira imagem, que nasce da composição do acaso: explosão de formas e cores que se encontram. O pictórico presente na ordenação de plantas e paredes de casa. “Uma outra possibilidade de mirar o mesmo, o já conhecido. A concretude da parede, a delicadeza de uma folha, o espinho de um cacto, uma trepadeira que insiste em grudar em transformar e dar movimento ao que foi criado para ser imóvel” diz Simonetta Pershiscetti, jornalista e crítica de fotografia, que assina a curadoria da exposição. “O trabalho diz muito mais do que apresenta: mostra que não existe imobilidade, que a surpresa está bem diante de nós”, completa.

A série explora elementos que, embora pertençam a um mundo urbano, não comungam da velocidade típica do cotidiano das cidades. “O trabalho se traduz em crônica urbana metafórica que mistura cimento, matéria estéril imposta pelo homem, e a vida vegetal, em sua forma mais bruta e crua”, diz Anita. Poética que traduz uma visão microscópica do contraste existencial do urbano, numa percepção intimista da cidade. Dessa contradição entre dureza e orgânico, do choque de tempos e naturezas distintos, se extrai, curiosamente, um mundo de equilíbrio, retratado pelo rigor técnico, pela composição exata de cores e ângulos.

O projeto, iniciado em 2009, foi selecionado com três imagens para o salão Arte Pará 2010, da Fundação Rômulo Maiorana. Em 2011, “Ainda Queria Falar de Flores” foi selecionado no II Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia.

A exposição integra uma série de cinco mostras previstas para este ano na Kamara Kó Galeria, projeto beneficiado pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura e ao Esporte Amador Tó Teixeira e Guilherme Paraense, com patrocínio BLB Eletrônica e apoio da Grand Cru e Fast Frame.

Sobre a artista

Anita Lima é fotógrafa e nasceu em São Paulo. Vive em Belém desde 2005. Nos anos de 2006 e 2010 teve obras selecionadas para o Salão Arte Pará (Belém-PA) e foi convidada a participar do 3º Salão da Vida Belém Pará (Belém-PA/2010). Começou suas produções fotográficas em 2000. Entre suas principais participações em mostras estão as coletivas Indicial (Sesc-Belém, 2010); Fotoativa Pará Cartografias Contemporâneas (SESC – São Paulo, 2009); Eterno Feminino (Fotoativa, 2008); PinholeDay 2007 (Fotoativa); Galeria Sol Informática (2007); Cianotipia e Calotipia (Fotoativa, 2005) e Casa Aberta 2000 (Senac-São Paulo, 2000).

SERVIÇO:

Abertura da mostra “Ainda Queria Falar de Flores”, de Anita Lima, na Kamara Kó Galeria (Travessa Frutuoso Guimarães , 611, Campina), dia 10 de maio, às 19h30. Visitação de 11/05 a 23/06, de 15h às 19h (terças, quartas, quintas e sextas), e de 10h às 13h (sábados). A exposição é uma realização da Kamara Kó Galeria, com patrocínio da BLB Eletrônica, apoio institucional da Lei Tó Teixeira, Fumbel e Prefeitura de Belém, e apoio cultural da Grand Cru e Fast Frame. Entrada franca. Informações e agendamentos: (91) 32614809 | kamarakogaleria@gmail.com | www.kamarakogaleria.com

Exposição “Coletivo/Individual” – Kamara Kó

 

 

Serviço: Exposição “Coletivo/ Individual Kamara Kó”

Abertura – Quinta (26.jan.2012) a partir das 19h na Galeria do CCBEU/ MABEU

Veja aqui algumas das imagens dos 13 artistas que estarão compondo essa exposição.

Fonte: Facebook Kamara Kó

“Confluências JAPANAMAZÔNIA” Alberto Bitar, Miguel Chikaoka e Paula Sampaio – Galeria Fidanza, MAS

A exposição fotográfica “Confluências JapanAmazônia”, com imagens de Alberto Bitar, Miguel Chikaoka e Paula Sampaio, inicia às 19 horas, de sexta-feira, dia 27, na Galeria Augusto Fidanza, do Museu de Arte Sacra. Nesse momento do vernissage, haverá o lançamento do livro “JapanAmazônia – Confluências Culturais”. O evento é realizado pela Kamara Kó Fotografias e patrocinado pelo Banco da Amazônia e o Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. A mostra poderá ser visitada até o dia 26 de setembro, das 10 às 16 horas, de terça-feira a domingo, com entrada gratuita.

A exposição fotográfica “Confluências JapanAmazônia” e o livro “JapanAmazônia – Confluências Culturais” são resultados do projeto “Confluências Culturais – Imigração Japonesa na Amazônia”, idealizado por Makiko Akao, da Kamara Kó Fotografias. A mostra apresenta cerca de 40 imagens e o livro, 100 imagens, que foram capturadas em municípios paraenses como Belém, Castanhal, Santa Izabel do Pará, Tomé-Açu, Igarapé-Açu, Monte Alegre e Santarém. Os registros aconteceram no período de abril a setembro de 2009.

“Provocar um novo olhar, capaz de identificar, no cotidiano, nas situações simples do dia-a-dia, a interligação entre as culturas japonesa e amazônida foi o desafio principal deste projeto”, explica Makiko Akao. Ela acrescenta, ainda, que a concepção do projeto aconteceu em decorrência dos 80 anos de imigração japonesa na Amazônia, comemorados no ano passado. Para Mariano Klautau Filho, que participou da curadoria da exposição, “as imagens de Paula Sampaio, Miguel Chikaoka e Alberto Bitar falam mais de encontros, momentos, histórias particulares, casas, quintais, e especialmente de pessoas. Em cada série de imagens reencontramos um certo Pará oriental ou um certo Japão paraense.”

Galeria Augusto Fidanza
Museu de Arte Sacra
Praça Frei Caetano Brandão, s/n – Cidade Velha
Vernissage: 27 de agosto de 2010, às 19h
Visitas: 28 de agosto a 26 de setembro
De terça-feira até domingo, das 10h às 16h
Informação: (91) 4009-8801
Entrada gratuita