“Imagem, realidade e fabulação” palestra de Alexandre Sequeira no IAP

“Imagem, realidade e fabulação” no IAP

A palestra do fotógrafo e pesquisador Alexandre Sequeira, que faz parte da programação do Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia, será nesta quinta-feira, 17 de maio, a partir das 19h, no Instituto de Artes do Pará, com entrada franca.

Alexandre vai abordar a pesquisa que ele realizou durante o ano de 2010, quando frequentou a vila de Lapinha da Serra, município de Santana do Riacho, na região da Serra do Cipó. O trabalho foi objeto de pesquisa de sua de dissertação de Mestrado, defendida na UFMG.

O trabalho desenvolvido em Lapinha da Serra, segundo Alexandre, tem o mesmo caráter relacional do desenvolvido em Nazaré do Mocajuba e de outro que ele realizou também com dois adolescentes residentes na ilha do Combú e no bairro do Guamá.

“Na verdade a fotografia se apresenta como um instrumento de aproximação e troca de impressões de mundo. O trabalho se afirma muito mais na relação que se estabelece do que na fotografia propriamente dita. Nesse sentido, a fotografia assume um caráter de documento construído a seis mãos, envolvendo eu, Rafael – um adolescente de 13 anos -, e seu avô, Seu Juquinha, de 84 anos”, diz ele referindo-se aos personagens focados neste último trabalho.

Durante o bate papo desta quinta-feira, Alexandre vai utilizar as imagens dessa experiência, além de pontuações teóricas para construir a conversa e a discussão com o público presente. “A palestra trata de nossa relação com a fotografia enquanto documento, enquanto memória de algo que efetivamente aconteceu. Mas a fala procura dirigir as atenções às relações que se estabelecem entre fotógrafo e fotografado, entre o que acontece antes ou mesmo depois do momento do registro. Relações estas que, de certa forma, relativizam ou ampliam esse valor de documento da fotografia”, diz Alexandre.

Laços – Ele conta que ao longo do período na Lapinha da Serra, a fotografia foi responsável pela construção de laços de convívio e afeto com alguns moradores locais, em especial com Rafael, de 13 anos, e sua família. “Refiro-me a um certo caráter performativo do ato fotográfico que envolve a todos que dele fazem parte e que, embora se tenha a impressão que diz respeito à uma produção fotográfica mais recente, na verdade acompanha a fotografia desde seu surgimento”.

Para Alexandre, as relações que se estabelecem a partir do convívio com as pessoas envolvidas e entre seus olhares e interpretações de mundo, tecem laços que os aproximaram enquanto permanentes construtores de sonhos, fantasias e desejos.

“A fotografia, que por vezes animou esse convívio, se apresentou tanto como instrumento de construção de uma etnologia da saudade – por seu inegável valor documental –, quanto por seu potencial emancipador, dada a perda de sentido de realidade que suas possibilidades interpretativas suscitavam”, continua.

Foi nessa perspectiva que palavras, imagens e acontecimentos animaram o convívio de Sequeira com Seu Juquinha e Rafael e por assim em diante se converteram em uma história, com elementos que se oferecem como fio condutor para a construção de uma narrativa capaz de tratar dos espaços da diferença e da alteridade.

O conjunto de fotografias produzidas ao longo dos dois anos pelo artista e por Rafael é guardado por ambos –, como um banco de dados passível de diferentes interpretações. Do mesmo modo, os relatos de Seu Juquinha, que por tantas vezes conduziram Sequeira por entre palavras, pausas ou entonações, no desafio de subverter os regimes do visível e do invisível, também servem como elemento indutor de ressignificações da vida em Lapinha da Serra.

Os registros sonoros desses encontros, fragmentos de conversas e sons da ambiência do lugar, compõe uma partitura sonora que é também encaminhada de volta à vila, como contribuição ao trabalho educativo desenvolvido por alguns moradores no Espaço Cultural situado ao lado da pequena igreja local.

Memória e falas – A intenção é que o material possa servir como outra forma de tratar a história, a memória e as qualidades de Lapinha da Serra, junto às crianças e adolescentes, assíduos frequentadores daquele espaço; como um meio de replicar a fala de Seu Juquinha – figura tão importante para a vila –, dando ao passado através de sua permanente revisão, um sentido de retomada, essa sim, uma forma nobre da memória.

Depois que defendeu a dissertação, Alexandre foi convidado a falar do projeto numa exposição em São Paulo, chamada “Por aqui, formas tornaram-se atitudes”. A exposição reunia nomes da cena das artes visuais como Helio Oiticica, Ligya Clark, Ligia Pape, Laura Lima e muitos outros.

Em seguida, ele também foi convidado a falar no Festival Internacional de Porto Alegre, no Festival de Fotografia de Recife, no Festival Internacional de Fotografia do Rio, no Festival de Fotografia de Manaus, numa palestra que proferi para o curso de Pós Graduação de Fotografia da Faculdade Armando Álvares Penteado em SP, em um curso de fotografia realizado no MAM de São Paulo e, mais recentemente, no Festival Internacional de Fotografia de Montevideo.

Já há algum tempo que o pesquisador não volta à Lapinha da Serra, um vilarejo bem isolado, no meio da Serra do Cipó. No mês que vem, porém, ele regressará à vila. “Em função desta distância e de minha agenda que tem sido um pouco corrida, não tenho tido oportunidade de manter contato com Rafael e Seu Juquinha, mas no fim de junho farei uma fala sobre a experiência em Belo Horizonte, no Palácio das Artes, dentro de uma exposição da qual farei parte, e já estou me programando para conseguir um carro e ir encontrá-los”, finaliza.

Serviço

Palestra “Imagem, realidade e fabulação”, com o fotógrafo e pesquisador Alexandre Sequeira – Nesta quinta-feira, 17/05, a partir das 19h, no Instituto de Artes do Pará, com entrada franca – Pça Justo Chermont, ao lado da Basílica de Nazaré.

Fonte: Assessoria Prêmio Diário.

Mostra “Outubro” – Fotoatividades / Fotoativa

Fotoativa apresenta mostra fotográfica Outubro, em Belém

A abertura acontece no dia 09 de dezembro, às 19h, no Fórum Landi, com visitações até o dia 22.

O calendário de ações do Projeto Fotoatividades, realizado pela Associação Fotoativa durante o segundo semestre de 2011, chega ao seu final com a realização da Mostra Outubro, que abre ao público na próxima sexta-feira
(09) no Fórum Landi, em Belém.

A exposição coletiva traz cerca de 80 imagens selecionadas de mais de 300 fotografias submetidas pelos 42 fotógrafos, amadores e profissionais, que participaram da Jornada Fotográfica Outubro. A curadoria da mostra tem a
assinatura dos 26 participantes da oficina de Curadoria, sob a coordenação do fotógrafo e professor da Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal do Pará Alexandre Sequeira.

A Jornada Fotográfica, que teve como instrutores o próprio Alexandre Sequeira e o fotógrafo Miguel Chikaoka, visou estimular e exercitar o olhar das pessoas com a realização de saídas fotográficas. A atividade aconteceu em outubro, mês que foi escolhido para ser o tema da atividade e, dessa forma, também deu nome à exposição final.

A Mostra Outubro reúne fotografias que abordam sub-temas como o Círio de Nazaré, tanto no seu lado religioso quanto no profano, memórias de viagens, infâncias e passagens. A abertura acontece a partir das 19h, e é aberta ao público. Na ocasião, serão distribuídas, gratuitamente, edições de quatro revistas culturais selecionadas pelo Programa “Cultura e Pensamento” do Ministério da Cultura, cuja rede de distribuição inclui a Fotoativa.

Projeção multimídia – Na noite de abertura também haverá projeção de vídeo-arte apresentada pela Revista Não-Lugar, publicação online sobre arte contemporânea brasileira idealizada por Roberta Carvalho, Danielle Fonseca e Keyla Sobral. A projeção coordenada pela revista apresenta vídeo-arte de Cao Guimarães, Solon Ribeiro, Daniele Fonseca e Cristiano Lenhardt.

O Projeto Fotoatividades tem patrocínio da Oi, via Lei Semear e Governo do Estado, e apoio da Oi Futuro.

SERVIÇO

Mostra Outubro
Abertura: 09 de dezembro de 2011, às 19h
Local: Fórum Landi (Rua Siqueira Mendes, nº 60 – Praça
do Carmo – Cidade Velha – Belém/PA).
Visitações: 12 a 22 de dezembro de 2011, de
segunda a sexta, de 10h às 18h.
Entrada Franca

Fotógrafos participantes  da Mostra Outubro:
ABRAÃO CARNEIRO DOS SANTOS • ALAN MARTINS DA SILVA • ROSANA ITAPARICA DE nCARVALHO • ANDRÉ LUIS VALADARES DE AQUINO • ANTONIA NAYANE MUNIS DE OLIVEIRA • BRENDA VENINA PAIVA DA SILVA n• DANIEL HUDSON CARVALHO VIEIRA • ELIZABETH TAVARES VIANA • EVNA MOURA • HELTON NASCIMENTO LOBÃO • IRENE ALMEIDA • JOÃO VITAL • JOELMA REIS VIEIRA RODRIGUES • JOSÉ SENA FILHO • KEILA RÉGIA RODRIGUES • LENA MÔNICA FRANÇA DE ARRUDA • LUIZ AUGUSTO PEREIRA DE SOUZA • MARA TAVARES • MARCELO MAGALHÃES • MARCIO AVELINO S. DE MIRANDA • MARISE GOMES MAUÉS • MICHAEL KLINGLER • MAYCON VIDAL • NATACHA JACCOUD BITAR • OTAVIO HENRIQUE NASCIMENTO • PANMELLA ARAUJO • PAULA PETRUCCELLI •  REGINA LÚCIA DA COSTA PETRUCCELLI • SILVIA AKEMI • TCHELLO D’BARROS • TEONÍLA BEZERRA LIMA • WAGNER OKASAKI • WALTER GOMES • ZOÉ FONSECA

Curadores:
ANDRÉ LUIS VALADARES DE AQUINO • ANTONIA NAYANE MUNIZ DE OLIVEIRA • ÁTILA DE ARAÚJO SILVA • CAROL ABREU •  CAROLINA VENTURINI • CINTHYA MARQUES • CYRO ALMEIDA • DURVAL MONTEIRO SOEIRO • FABIO ANTONIO OLIVEIRA HASSEGAWA • IRENE ALMEIDA • JANDUARI SIMÕES • JOSÉ SENA FILHO • KAROL KHALED • LUCIANA BARBOZA MORAIS • LUCIANA MAGNO • MARA TAVARES • MÁRCIO JOSÉ CAMPOS • MARISE MAUÉS • MARTA DE LOURDES COSMO MACEDO • NATACHA JACCOUD BITAR • RAFAEL JOSÉ BANDEIRA DA PENHA •
RODRIGO JOSÉ CASTRO CORREIA • SAMANTHA RAISSA CUNHA DA SILVA • SISSA ANELEH • TCHELLO D’ BARROS • ALEXANDRE SEQUEIRA

II Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia – Premiados e Selecionados

Silas José de Paula (CE), Leonardo Sette (PE) e Roberta Carvalho (PA) são os grandes vencedores do II Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia – Crônicas Urbanas. A comissão de seleção (foto), composta por Tadeu Chiarelli, Marisa Mokarzel e Alexandre Sequeira, avaliou quase 300 trabalhos vindos de todas as regiões do Brasil.

Os três trabalhos irão compor a mostra Crônicas Urbanas, que será montada no dia 15 de março, no Museu da UFPA, ao lado dos outros 18 trabalhos selecionados. Aguarde mais informações e confira a seguir a lista completa:

PREMIADOS:

1. Silas José de Paula (CE) – Prêmio Crônicas Urbanas

2. Leonardo Sette (PE) – Prêmio Diário Contemporâneo

3. Roberta Carvalho (PA) – Prêmio Diário do Pará

SELECIONADOS:

4. Anita de Abreu e Lima (PA)

5. Everaldo Pereira do Nascimento (PA)

6. Ionaldo Rodrigues da Silva Filho (PA)

7. José Ricardo Carvalho de Macêdo (PA)

8. Keyla Cristina Tikka Sobral (PA)

9. Carlos Alexandre Dadoorian (SP)

10. Fabio Okamoto (SP)

11. Felipe de Aquino Ramos (SP)

12. João Keir – Cia de Foco (SP)

13. Fernanda Grigolin (SP)

14. Francilins Castilho Leal (MG)

15. Pedro David de Oliveira Castello Branco (MG)

16. Viviane Gueller (RS)

17. Marina Rieck Borck (SC)

18. Fernanda de Oliveira Antoun (RJ)

19. José Eduardo Nogueira Diniz (RJ)

20. Haroldo Bezerra Sabóia Filho (CE)

21. Péricles Mendes da Silva (BA)

Fonte: Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia

 

Exposição “Grafias” – Espaço Cultural Banco da Amazônia

Curadora da Bienal de Havana em Belém – Palestra e Leitura de Portifólios no IAP

São 20 vagas para artistas visuais para leituras de portfólios com Ibis Hernández Abascal, curadora da Bienal de Havana. As leituras serão dia 05 de agosto, pela manhã e à tarde. Para se inscrever os interessados deverão enviar currículo para o e-mail iapvisuais@gmail.com até o dia 04 de agosto, às 14h00. Serão selecionados apenas 20 artistas. Já a palestra será dia 06 de agosto, às 19, onde a famosa estudiosa de arte abordará a produção artística de seu país. Para a palestra será expedido pelo IAP declaração de participação. Todos os eventos são gratuitos.

AGENDA

Leitura de portifólios

Data: dia 05 de agosto.

Horário: das 9h00 às 12h00 e das 14h00 às 16h00

Local: Instituto de Artes do Pará

Pça. Justo Chermont, 236

Auditório

Palestra

Data: dia 06 de agosto

Horário: às 19h00

Local: Instituto de Artes do Pará

Pça. Justo Chermont, 236

Sala Multimeios
Tel: 4006 2911 / 4006 2910


Obra de Alexandre Sequeira, artista selecionado para a Décima Bienal de Havana

Fonte: Tylon Maués/ Comunicação IAP


Imagens da Décima Bienal de Havana em 2009 com o lema “Integração e Resistência na Era Global “.

Fonte: Site da Décima Bienal de Havana