Exposição “O retrato que há em mim” – Onze Janelas

apae 3

A produção em artes visuais dos alunos da Apae de Belém se constitui de vivências, que buscam: a percepção de elementos formais das artes, a familiaridade com materiais artísticos, o estímulo à percepção e reflexão de subjetividades contidas em obras de arte, a oportunidade de acesso a conteúdos culturais, construção de diálogos e visitas à exposições e espaços culturais, experiência notadamente enriquecedora.

Costumo dizer que toda deficiência dos meus alunos desaparece e nos tornamos semelhantes quando percebo as minhas próprias deficiências. É quando passamos a falar a mesma língua, de igual para igual. Nesse momento, em que me deparo com a dificuldade de ser compreendida por eles, entendo que a deficiência é minha e visto a pele do outro, pois que conheço as minhas dificuldades, bem como as potencialidades, como eles também conhecem as deles. E então, nos entendemos e toda ação se torna possível.

Foi no exercício de olhar o “outro-artista” que iniciamos nosso percurso neste trabalho. Tentando com que essa experiência os conduzisse para a percepção do próprio “eu” e que pudessem se projetar, eles mesmos, na ideia de se autorrepresentar – diferentes e únicos nas características individuais e semelhantes na capacidade de se reconhecer e de encontrar, através da janela do espelho, os seus próprios retratos.

apae 2

Partimos do referencial concreto, utilizando autorretratos de artistas conhecidos, possibilitando releituras, fruição, diálogos e formação de opinião. Nesse processo, surgem identidades, constrói-se conhecimento e revelam-se juízos de gosto, arcabouços do “existir”. A mágica se dá quando eles se descolam do referencial imagético que lhes foi oferecido, tomando suas próprias decisões, anunciando que toda a deficiência, a minha e a deles, foi superada e que uma conexão foi estabelecida. Desenharam-se, pintaram-se e se representaram com a liberdade de ser: eles próprios em sua subjetividade, sendo nuvem, como no poema de Mário Quintana, cores e sonhos… Nuances subjetivas presentes em cada autorretrato desta mostra.
Nesta exposição apresentamos a expressividade de cada um, o desejo e o orgulho com que essas pessoas se colocam e se sentem participativas de um processo em que estão verdadeiramente incluídas e envolvidas, que revela as individualidades e sentimentos de quem não vive em um mundo paralelo, mas no mesmo mundo a que todos fazemos parte. Talvez o que seja excepcional nesta experiência, seja apenas a rara oportunidade, em que podemos trazer ao público os resultados tão cheios de emoção, e, particularmente para nós que os acompanhamos nesse exercício de criação e superação.

Silvana Saldanha
Professora de Artes Visuais da Apae de Belém.

apae

Anúncios

Exposição “Buena Memoria” do fotógrafo argentino Marcelo Brodsky, Laboratório das Artes/ Onze Janelas

A exposição Buena Memoria do fotógrafo argentino Marcelo Brodsky é formada por fotografias, instalação e vídeo. Trata-se de um ensaio fotográfico realizado a partir de uma fotografia tirada em 1967 dos colegas de classe do Colégio Nacional de Buenos Aires. O fotógrafo realiza uma intervenção na imagem e desenvolve um trabalho revelador da ausência do irmão, do melhor amigo, daqueles que desapareceram nos duros anos da ditadura argentina. Brodsky apresenta com sensibilidade um conjunto de imagens que se transforma em um diálogo doloroso e poético entre passado e presente.
Exposição: BUENA MEMORIA
Fotógrafo:  Marcelo Brodsky
Dia: 09 de outubro de 2012
Local: Espaço Cultural Casa das Onze Janelas – Pça Frei Caetano Brandão s/nº,  Sala Valdir Sarubbi
Horário: 19h
CAFÉ FOTOGRÁFICO
BUENA MEMORIA: um encontro com Marcelo Brodsky
Parceria entre FotoAtiva e Espaço Cultural Casa das Onze Janelas
Um bate papo com Brodsky
Dia: 10 de outubro de 2012
Local: IAP – Praça Justo Chermont 236, Nazeré
Horário: 19h
Entrevista com o fotógrafo Marcelo Brodsky no Fórum de Fotografia:

Exposição “Desenhos Assombrados” de Tadeu Lobato, Museu Casa das Onze Janelas


DESENHOS ASSOMBRADOS
A exposição é composta por desenhos e vídeos, o artista realiza um diálogo direto com os trabalhos do ilustrador americano Edward Gorey. Tadeu Lobato toma como referência o livro de Gorey, Alfabeto Macabro, realizando sutis interferências nas imagens e estabelecendo um jogo conceitual de nonsense com o ilustrador. A idéia é realizar uma espécie de storyboard, numa concepção que propõem um não tempo ou mais precisamente um tempo fora do nosso tempo. Há uma cumplicidade entre o artista e o ilustrador, são afinidades substanciadas pelo humor carregado de ironia. Tadeu Lobato faz uma reflexão sobre o mundo contemporâneo, sobre uma inocência perdida, sobre as contações de histórias para embalar um sono intranquilo.

 

 

SERVIÇO:

Título da exposição: Desenhos Assombrados.

Artista: Tadeu Lobato
Local: Espaço Cultural Casa das Onze Janelas. Laboratório das Artes
Data de abertura: 27 de setembro, às 19h
Período da exposição: 27 de setembro até 02 de dezembro.

Horário de visitação: Terça a sexta das 10 às 18h. Sábado, domingo e feriado das 10h às 14h

II Salão Xumucuís de Arte Digital – Aprovado no Edital de Pautas SIM 2012

RESULTADO DO EDITAL DE PAUTA SIM 2012
NÚMERO DE PUBLICAÇÃO: 417172
Resultado do Edital de Pauta SIM/2012 – A Comissão de Seleção do Edital de Pauta referente ao Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, Museu de Arte Sacra e Museu do Estado  do Pará, formada por Emanuel Franco, Neder Charone e  Valzeli Sampaio selecionou os projetos dos seguintes artistas/curadores: Ana Luiza Kalaydjian; Leonardo Mota Campos –  AoLeo; Luciana Mena Barreto e Marcelo Lobato; Lucimar Belo;  Paulo Miyada; Ramiro Quaresma e Renato Hofer.

Edital de pautas para exposições nos espaços do Sistema Integrado de Museus e Memoriais/Secult

Estão abertas até 29 de Julho as inscrições de pautas de exposições de artistas e curadores para os espaços do SIM. 

SALA GRATULIANO BIBAS / ONZE JANELAS

LABORATÓRIO DAS ARTES / ONZE JANELAS

SALA MANOEL PASTANA / MHEP

GALERIA FIDANZA / MUSEU DE ARTE SACRA

EDITAL DE PAUTA SIM 2012 

NÚMERO DE PUBLICAÇÃO: 355372 

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ 

SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA 

SISTEMA INTEGRADO DE MUSEUS E MEMORIAIS 

EDITAL DE PAUTA SIM 2012 

 Secretaria de Estado de Cultura do Pará- SECULT, através do Sistema Integrado de Museus e Memoriais– SIM, torna público que estarão abertas, até o dia 29.06.2012, as inscrições para EDITAL DE PAUTA SIM 2012 dos museus do SIM:LABORATÓRIO DAS ARTES e SALA GRATULIANO BIBAS do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas-COJAN; SALA MANOEL PASTANA do Museu Histórico do Estado do Pará – MHEP e SALA AUGUSTO FIDANZA do Museu de Arte

Sacra – MAS. 1. DO OBJETIVO 1.1 – Selecionar 16 projetos de artistas visuais e/ou curadores para realização de exposições individuais e/ou coletivas, nos espaços museais do Sistema Integrado de Museus e Memoriais da Secult a saber: 04 projetos para o Laboratório das Artes e 04 para a Sala Gratuliano Bibas do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, 04 projetos para a Galeria Fidanza do Museu de Arte Sacra, 04 projetos para a Sala Manoel Pastana do Museu do Estado do Pará. 1.2. – A divulgação dos selecionados dar-se-á por meio de Portaria, publicada no Diário Oficial do Estado do Pará e nos sites www.pa.gov.br e www.secult.pa.gov.br 1.3. – As exposições deverão contemplar artistas e/ou curadores inscritos em todo o território nacional, cabendo à Comissão de Seleção, em conjunto com o SIM por meio do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, selecionar as propostas inscritas, obedecendo ao seguinte critério: 2. DAS INSCRIÇÕES 2.1. – As inscrições serão gratuitas e estarão abertas no período de 30 de abril a 29 de junho de 2012, após a publicação deste Edital no Diário Oficial do Estado do Pará.

2.2. – Poderão se inscrever artistas e/ou curadores de todo o Brasil;

2.3. – Na hipótese de inscrição de trabalhos em grupo, apenas um membro deverá constar como responsável pela inscrição em que ele será identificado como proponente. Os demais integrantes do grupo deverão preencher o formulário de inscrição como participantes. Caso o grupo seja selecionado, tanto o proponente quanto os participantes deverão firmar o termo previsto no item 8.1 letras “a” e “b”, deste edital.

2.4. – A inscrição deverá ser efetivada no Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, Praça Frei Caetano Brandão s/ no Cidade Velha – CEP:66020-310 ou através do envio do material de inscrição pelos Correios e deverá ser postada até o dia 29 de junho de 2012, considerando-se para esse fim a data registrada no carimbo dos Correios ou serviço de entrega.

2.5. –. Serão desconsideradas as inscrições postadas fora do prazo e aquelas cujo material estiver incompleto.

2.6. – A inscrição deverá ser enviada em envelope com nome completo do profissional e escrito: EDITAL DE PAUTA SIM 2012/Sistema Integrado de Museus e Memoriais. Os dossiês remetidos pelos Correios deverão ser registrados ou, se possível, enviados por Sedex, e incluir um envelope já sobrescrito com o endereço para devolução e com os selos referentes ao valor de carta registrada em anexo.

2.7. – Os artistas e/ou grupos receberão a confirmação de suas inscrições somente via e-mail.

2.8. – Os artistas e/ou curadores poderão inscrever até 3 (três) trabalhos ou projetos que se adeqüem aos espaços museais do SIM, conforme plantas disponíveis no regulamento, sendo que a comissão decidirá qual trabalho será exposto.

2.9. – Os artistas e/ou curadores deverão apresentar suas propostas especificando o espaço que pretendem utilizar (Laboratório das Artes e Sala Gratuliano Bibas do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas,Galeria Fidanza do Museu de Arte Sacra,Sala Manoel Pastana do Museu do Estado do Pará).

2.10. – Para os espaços: Sala Gratuliano Bibas, Galeria Fidanza,Sala Manoel Pastana,não serão aceitos projetos que visem a mudança da cor de suas paredes fixas através do uso de tintas PVA e acrílica, devido as mesmas serem recobertas com tintas especiais visando a preservação da integridade física de suas estruturas. Ficando permitido para os referidos espaços, somente a alteração de cor das divisórias móveis e dos painéis existentes nos mesmos. E qualquer alteração de cor das divisórias e dos painéis o artista ou curador, ao término da exposição, se responsabiliza em devolver a cor original dos painéis. Ressalta-se que o Laboratório das Artes, por seu caráter experimental, permite a alteração de cor de suas paredes fixas. 2.11. – O SIM, através do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas rejeitará as inscrições que não estejam de acordo com os termos deste edital, cuja inscrição implica na automática e plena concordância das normas estabelecidas no mesmo.

2.12. – Os artistas e/ou curadores poderão obter o edital e regulamento com as distintas especificações dos espaços e suas respectivas plantas através do e-mail onzejanelas@gmail.com .

3. DA SELEÇÃO:

3.1. – A seleção dos trabalhos será feita pelo exame de dossiê, em etapa única, por comissão composta por 3 (três) membros, a serem escolhidos pelo Secretário de Estado de Cultura.

3.2. A Comissão se reunirá no Espaço Cultural Casa da Onze Janelas/SIM quando será lavrada a ata da sessão, sendo soberanas as suas decisões de mérito, não cabendo recurso;

3.3. – Caberá à Comissão de Seleção definir o número de exposições em cada espaço conforme o calendário de pautas do regulamento.

3.4. – O dossiê deve obedecer às seguintes especificações: a) – conter fotos, coloridas ou PB ou CDs, ou DVDs, em conjunto com as propostas de desenvolvimento do trabalho. Os artistas e/ou curadores poderão também enviar croquis, plantas impressas, CD, DVD, memoriais descritivos que melhor julgarem para entendimento de suas propostas; b) – indicar em todas as fotos, no verso, o nome do autor e a indicação das medidas das obras. Os CD, DVD e todo o material devem também estar devidamente identificados; c) – o dossiê deve permitir entendimento claro das propostas apresentadas, por meio de texto com especificações de manuseio e montagem; d) – fornecer dados curriculares, restritos a sua formação artística e as suas atividades culturais, com nome e endereço completo, telefone e e-mail; e) – apresentar uma relação com as informações: autor, título, data, técnica ou materiais utilizados, dimensões (medida máxima na vertical x medida máxima na horizontal x profundidade) e outros dados julgados necessários pelo artista ou curador;

3.5 – Todos os artistas e/ou curadores selecionados terão direito a serviços de montagem, convite, coquetel e divulgação da

exposição;

3.6. – A seleção somente será feita por meio das fotos, projetos, CD e DVD, não sendo aceitas obras originais ou maquetes para esta finalidade.

3.7. – Todos os artistas e/ou curadores selecionados serão comunicados logo após a seleção das obras, por e-mail ou telefone e através da publicação no Diário Oficial do Estado.

3.8. – Os dossiês dos artistas e/ou curadores selecionados ficarão sob a guarda do SIM/Espaço Cultural Casa das Onze Janelas.

3.9. – Os artistas e/ou curadores não selecionados deverão receber os projetos pelos Correios, desde que mandem o envelope para devolução com os selos referentes ao valor de carta registrada, anexados separadamente (sem colar). Caso contrário, os dossiês serão mantidos pelo SIM até seis meses após a data de início das inscrições, não se responsabilizando pelos mesmos após este prazo.

4. DAS EXPOSIÇÕES 

4.1. – Caberá ao SIM, de comum acordo com os artistas e/ou curadores selecionados em conjunto com a direção dos espaços museais envolvidos, o plano de execução da montagem das exposições, assim como a adequação do número de obras por artista e/ou grupo e sua disposição nos espaços expositivos (Laboratório das Artes e Sala Gratuliano Bibas do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas ,Galeria Fidanza do Museu de Arte Sacra,Sala Manoel Pastana do Museu do Estado do Pará);

4.2. – As dimensões dos trabalhos deverão levar em conta as proporções dos referidos espaços acima citados. Plantas disponíveis no regulamento impresso e através do e-mail onzejanelas@gmail.com. Os artistas poderão também visitar o espaços museais.

5. DO CALENDÁRIO DE EXPOSIÇÕES 

ESPAÇO CULTURAL CASA DAS ONZE JANELAS Laboratório das Artes

␣ ␣ ␣ ␣ Sala Gratuliano Bibas

12 de setembro a 14 de outubro de 2012

11 de dezembro de 2012 a 13 de janeiro de 2013

05 de fevereiro a 10 de março de 2013

19 de março a 21 de abril de 2013

␣ ␣ ␣ ␣ MUSEU HISTÓRICO DO ESTADO DO PARÁ Sala Manoel Pastana

12 de setembro a 14 de outubro de 2012

11 de dezembro de 2012 a 13 de janeiro de 2013

05 de fevereiro a 10 de março de 2013

19 de março a 21 de abril de 2013

␣ ␣ ␣ ␣ MUSEU DE ARTE SACRA Sala Augusto Fidanza

07 de agosto a 02 de setembro de 2012

06 de setembro a 01 de outubro de 2012

08 de janeiro a 10 de fevereiro de 2013

19 de fevereiro a 24 de março de 2013

␣ ␣ ␣ ␣

6. DO TRANSPORTE 

6.1. –Os trabalhos selecionados deverão chegar ao espaço da exposição com 7 (sete) dias antes da abertura da mesma.

02 de agosto a 02 de setembro de 2012 06 de novembro a 02 de dezembro de 2012 10 de janeiro a 03 de fevereiro de 2013 21 de fevereiro a 24 de março de 2013

6.2. –Os artistas e/ou curadores selecionados deverão retirar seus trabalhos até 05 (cinco) dias após o término da exposição. A não observância deste prazo permitirá ao SIM adotar as providências que melhor lhe aprouver.

6.3. – Os artistas e/ou curadores, que utilizarem transportadora para entrega das obras, deverão apresentar comprovante de contrato da transportadora para a sua devolução após o término da exposição.

6.4. -O SIM não se responsabilizará por eventuais extravios ou danos causados a obra durante o percurso do transporte, cabendo ao artista e/ou curador providenciar o seguro, se for de seu interesse.

7. DA MONTAGEM 

7.1. –Caberá ao SIM a montagem em comum acordo com o artista e/ou curador selecionado, obedecendo ao detalhamento, a ser enviado juntamente com a documentação, o conceito de montagem e o local onde serão apresentados os trabalhos. 7.2. -A montagem será feita com a supervisão e apoio da equipe do SIM juntamente com os artistas e/ou curadores. As obras que não se enquadrarem nos suportes tradicionais serão montadas de acordo com os projetos enviados pelos artistas e/ ou curadores. Trabalhos que exijam instalações e montagens especiais só serão exibidos de acordo com a disponibilidade técnica dos locais ou com instalações e montagens fornecidas pelo artista e/ou curador. 7.3.– Equipamentos especiais necessários à apresentação deverão ser fornecidos pelos artista e/ou curadores.

8. DAS OBRIGAÇÕES DOS ARTISTAS 

8.1. -Cabe aos artistas e/ou curadores selecionados: a) – assinar o Termo de Compromisso da exposição da qual participa; b) – comunicar, por escrito, eventuais mudanças de endereço ao SIM/Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, além de fornecer e-mail atualizado;

c) – entregar, nos prazos estipulados pelo SIM logo após a seleção, o material destinado à produção das peças gráficas (convites) e divulgação, como fotos coloridas ou PB, que garantam melhor reprodutibilidade, com as especificações das fotos que serão destinadas ao convite e a divulgação, acompanhadas de ficha técnica completa (nome, título, técnica, dimensões, ano), currículo resumido, e texto sobre o trabalho que será apresentado;

d) – autorizar por escrito a reprodução do material destinado à produção da peça gráfica para divulgação e promoção do projeto em todo e qualquer veículo de comunicação, bem como autorizar a veiculação de imagens das obras expostas e textos via Internet;

e) – enviar, para as exposições coletivas e/ou individuais, os trabalhos apresentados no dossiê que foram indicados pela Comissão de Seleção, não sendo permitido substituí-los por obras com características diferentes;

f) – pagar as despesas de molduras, embalagem e transporte das obras (ida e volta) e fornecer equipamentos especiais (TV, DVD, datashow, projetores e outros); g) – cumprir os prazos estipulados para a entrega das obras; h) – não retirar seus trabalhos antes do encerramento do evento; i) – usar o recurso do looping, no caso de exibição de DVD, a não ser que a proposta do artista exija forma de apresentação especial e esteja justificada no encaminhamento do projeto.

j) – se responsabilizar por todos os custos, encargos e operacionalização de possível execução do projeto. 8.2. – A inscrição efetuada implica a plena aceitação de todas as condições nos termos deste edital.

9. DAS OBRIGAÇÕES DA SECULT/SIM 

9.1. – Obriga-se o SIM: a) – devolver com frete a pagar as obras dos artistas selecionados residentes fora de Belém, nas mesmas condições de recebimento, ou seja, devidamente identificadas e adequadamente embaladas; b) – imprimir os convites para as exposições no formato cartão postal e em policromia; c) – fornecer o coquetel para as exposições; e) – fornecer serviço de montagem; f) – divulgar as exposições; f) – garantir a segurança das obras durante o período da exposição;

10. DAS DISPOSIÇÕES FINAIS 10.1.- As decisões finais da Comissão de Seleção são irretra- táveis e irrevogáveis. 10..2Os casos omissos e controversos serão resolvidos pelo Secretário de Estado de Cultura.

Belém, 20 de Março de 2012.

PAULO CHAVES FERNANDES 

Secretário de Estado de Cultura

FONTE: IOEPA

Conversas e Contrapontos no Museu da Casa das Onze Janelas – Acervo Jorge Alex Athias


Conversas e Contrapontos no Museu da Casa das Onze Janelas

 

Por Carolina Klautau (Secult)

         Nesta terça-feira, 20 de dezembro, acontece a abertura da exposição “Conversas e Contrapontos”, no Museu da Casa das Onze Janelas. A mostra está inserida no projeto EntreConversas, que busca promover interação entre as obras de arte de um colecionador (ou de instituições), do acervo da Casa das Onze Janelas e o público. A primeira coleção a ser exposta é a do advogado Jorge Alex Athias.

         De acordo com a diretora do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, Marisa Mokarzel, a coleção do advogado Jorge Alex Athias foi escolhida para abrir o projeto EntreConversas porque promove diálogo com o acervo do espaço e por se tratar de alguém que tem fascínio pela arte. “Prevalece em seu acervo obras contemporâneas que foram adquiridas com o cuidado e a paixão de quem gosta e conhece arte. Nesta exposição pode-se refletir questões referente a acervos, colecionadores e arte contemporânea no contexto da delicadeza, da dor e da indignação”, revela.

Detalhe da obra de Marinaldo Santos.

       Com o projeto EntreConversas os visitantes do museu podem entrar em contato com obras que antes ficavam restritas a um espaço privado e descobrir novos horizontes da arte contemporânea brasileira. Na exposição é possível encontrar vários suportes da arte contemporânea, como objetos, pinturas, fotografia e gravuras. No acervo de Jorge Alex Athias, por exemplo, o público poderá conhecer melhor as obras de Vera Chaves Barcellos, que tem grande importância na arte brasileira, mas que ainda foi pouco exposta.

         Além da obra de artistas de outras regiões do Brasil, a exposição “Conversas e Contrapontos” também divulga a produção de artistas paraenses.

A abertura da exposição tem início ás 19h, na Sala Valdir Sarubbi, no Espaço Cultural Casa das Onze Janelas. A mostra fica aberta ao público até o dia 4 de março de 2012. As visitações podem ser feitas de terça a sexta-feira, de 10h às 18h e nos fins de semana e feriados, das 10h às 14h.

Exposição “O Olhar em Construção” – Laboratório das Artes do Museu Casa das Onze Janelas

O Museu Casa das Onze Janelas, realizou através da iniciativa e trabalho do professor Valério Silveira, em parceria com os educadores do museu, a oficina fotográfica “O Olhar em Construção” . Tal atividade veio integrar a programação educativa da mostra “LUIZ BRAGA o percurso do olhar – Mostra da Coleção Luiz Braga do Museu Casa das Onze Janelas.


Depois de algumas visitas feitas pelo professor Valério , a exposição, com a participação de seus alunos, e em conversas com a educadora do museu, Bianca Shiguefuzi , surgiu a idéia da realização de uma ação em parceria para ter como foco a exposição da Coleção Luiz Braga. Desta forma , com anuência da instituição , que investiu na proposta, aconteceu em todas as sextas-feiras do mês de novembro, os desdobramentos da atividade de forma gratuita aos 14 participantes, que confeccionaram máquinas fotográficas artesanais a partir da estrutura de caixas de fósforo e demais materiais próprios para a referida técnica, realizaram passeios fotográficos para realização das imagens e discutiram e refletiram  acerca do ato de fotografar, tendo com recorte a obra de Luiz Braga.

A ação alcançou seu objetivo de integrar o museu a comunidade, através de atividades educativas em torno de suas exposições, e mais especificamente neste caso, à difusão de seu acervo, na qual os integrantes da oficina puderam conhecer mais sobre a obra deste importante fotógrafo paraense e de um modo geral sobre a fotografia produzida em nosso Estado. Desta forma o museu apresenta ao público, parte do material produzido na oficina na exposição “O Olhar em Construção” que abre amanhã no Laboratório das Artes, com imagens realizadas pelas participantes Camille Nascimento, Deborah Cabral, Mara Tavares e Julieth Corrêa, junto com fotografias de Valério Silveira.

O Museu Casa das Onze Janelas , compreende que é de fundamental importância a realização de ações como esta, que promovem a valoração, a pesquisa, a preservação e a comunicação do seu acervo, oferecendo ao público atividades de difusão de conhecimento através de exposições, publicações, oficinas , palestras e demais ações educativas. Tendo como objetivo a valorização, o fomento e a difusão das artes visuais paraense e o fortalecimento das ações desenvolvidas pela instituição, que  afirma seu perfil de arena de reflexão, fomento e difusão cultural com ações que trabalharam os processos de democratização da arte, inclusão social e cidadania.

 

Outros Prazeres ou Aquilo que Amou ter de Volta

Outros Prazeres ou Aquilo que Amou ter de Volta – um diálogo com o acervo da Casa das 11 Janelas – curadoria Orlando Maneschy

com Courtney Smith, Douglas Marques de Sá, Laura Vinci,
Newton Mesquita, Marco Paulo Rolla, Hildebrando Castro,
Adir Sodré, Miguel Rio Branco, Cildo Meireles, Lina Kim,
Nazaré Pacheco, Yiftah Paled, Laércio Redondo,
Marcelo Coutinho, Paulo Climachauska, Rosângela Rennó,
José Guedes, Orlando Maneschy e Cláudia Leão.

Período: de 04 de junho a 11 de julho de 2010

de terça a domingo , de 10h às 16h – feriados : de 09h às 13h.

O Museu Casa das Onze Janelas fica na Praça Frei Caetano Brandão s/ nº, Cidade Velha- Belém/PA. CEP: 66020-310.

Ingresso: R$2,00. Todas as terças-feiras do ano a entrada é franca.

Gratuidade: crianças até 7 anos , adultos a partir dos 60 anos, portadores de necessidades especiais,
grupos agendados e turmas da rede de ensino agendadas . Agendamento : (91) 40098845 – Educativo SIM.

Informações: (91) 40098825/40098823/40098821. E-mail: onzejanelas@gmail.com

http://museucasadasonzejanelas.blogspot.com/

Exposição Cidade-Rede – de Val Sampaio

A exposição “Cidade-Rede”, de Val Sampaio, aconteceu em 2008 no Laboratório de Artes do Museu Casa das Onze Janelas, através do Prêmio SIM de Artes Visuais. Este vídeo mostra um giro de 360 graus pela exposição, que pela tecnologia e interatividade, assim como pelo discurso da cidade como organismo vivo e cibernético, continua extremamente pertinente.

HAICAI: POESIA E IMAGEM

Paralelamente à exposição ocorrerá Mini-oficina de experimentação plástica: “Reciclagem e produção de papel artesanal”

Responsável: Bianca Shiguefuzi

Período: 07 à 23/04/10

Horário: 14:00 às 16:00hs

A mini-oficina repetir-se à em cada dia.

Às 3a. feiras: atendimento  ao público em geral e sem inscrição prévia (individualmente ou máximo 12 pessoas)

Às 4a., 5a. e 6a. feiras: atendimento aos grupos escolares e outras instituições que agendarem com antecedência pelo telefone 4009818/ Coordenação de Educação e extensão (máximo 30 pessoas)

Público:  crianças à partir de 05 anos acompanhadas por responsáveis, jovens, adultos e idosos.

Obs.: Pessoas surdas devem entrar em contato com Mizanara, tradutora intérprete em libras pelo email: mizanara_brasil@hotmail.com

Local: Varanda do Museu Casa das Onze Janelas

Rua Frei Caetano Brandão, s/ nº, Cidade Velha, Belém, PA.

Tel.: 40098823 e 40098821

http://museucasadasonzejanelas.blogspot.com

Gabinete de Papeis da Exposição Traços e Transições da Arte Contemporânea Brasileira

Um conceito de exposição único no estado do Pará. É só dar uma passada na Sala Ruy Meira do Museu Casa das Onze Janelas e conferir.

Direção do vídeo: Ramiro Quaresma

Locução: Pedro Vianna

“Conversas Ampliadas” arte contemporânea paraense nas Onze Janelas

CONVERSAS AMPLIADAS

O Museus Casa das Onze Janelas está divulgando um grande ciclo de conversas com artistas contemporâneos paraenses com desdobramento do projeto de ampliação de seu acervo, premiado no edital Marcantônio Villaça.

Segue abaixo a agenda e vamos acompanhar de perto esta oportunidade rara prar artistas e pesquisadores da arte.

“CONVERSAS AMPLIADAS”, que consiste na atividade de encontros e diálogo entre artistas visuais e o público, referente à mostra “Ampliação da Coleção de obras de Artistas Paraenses do Museu Casa das Onze Janelas” – Proposta de aquisição de acervo , contemplada no Edital Prêmio de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça 2008 – FUNARTE/DEMU/IPHAN

Programação:

Horário: 19:00

Dia : 22/10/2009

Artistas: Jocatos, Margalho e Werley Oliveira.

Dia: 28 /10/2009

Artistas: Berna Reale, Lise Lobato e P P Condurú.

Dia: 04 /11/2009

Artistas: Armando Queiróz e Emanuel Franco.

Dia: 11 /11/2009.

Artistas: Acácio Sobral, Geraldo Teixeira, Jorge Eiró, Ruma e Ronaldo Moraes Rego

Local:Museu Casa das Onze JanelasSala Valdir Sarubbi ,

Praça Frei Caetano Brandão, s/n Tel.: 40098825.

Programação Educativa:

Milena Claudino ,Bianca Shiguefuzi, Cilene Nabiça

e Fagner Monteiro- 40098821- 40098823

Prêmio Secult de Artes Visuais

prêmio SIM de Artes Visuais 2008 surge em 2009 como novo nome, Prêmio Secult de Artes Visuais, e contemplando apenas 08 projetos, na primeira edição foram 16. A ajuda de custo passou dos R$ 6.500 da edição passada para R$ 9.800, mais exequível para os artistas. A quantidade de contemplados pode ter diminuído mas continua sendo uma das poucas oportuidades para os artistas visuais materializarem suas exposições. No ano de 2008 foram mais de uma exposição por mês, fato inédito e marcante na história das artes no Pará.  Foram 16 propostas artísticas, de um total de 104 inscrições, que proporcionaram ao público experiências visuais e sensoriais múltiplas. Os projetos artísticos premiados pelo Prêmio SIM de Artes Visuais 2008 foram escolhidos pelo júri formado por Marisa Morkazel, Orlando Maneschy e Armando Queiroz , e idealizado e coordenado pela diretora do Museu Casa das Onze janelas, Nina Matos, artista visual e arte-educadora. Os projetos foram montados em diversas salas expositivas do SIM, no MHEP, Sala Antonio Parreiras e Sala Manoel Pastana e Salão Transversal; Onze Janelas, Laboratório das Artes, Sala Gratuliano Bibas e Sala Valdir Sarubbi; e Galeria Fidanza no Museu de Arte Sacra. Foram contemplados 11 projetos locais e 5 de outros estados, recebendo R$ 6.500,00 para custos relativos a realização da exposição e a infra-estrutura de montagem e divulgação por conta da Secult. Vamos comentar aqui todas as exposições do Prêmio SIM de Artes Visuais e, se possível, entrevistas com os artistas e da comissão de seleção do prêmio.

Esses foram os projetos contemplados em 2008:

Projetos Paraenses
“Retrospectiva 20 anos” de Jair Junior

“Alma” – Margalho Açu

“Espaços Autônomos” – Bruno Cantuária e Ricardo Macedo

“Ifigênia na sala dos passos perdidos” – Maria Christina

“Marca texto urbano” – Ingrid Táskya, Edilene Pamplona, Amanda Jhones

“Corporaturas” – João Cirilo, Éder Oliveira, Flávio Araújo, Milton Ribeiro e Werley Souza

“Finisterra” – Mariano Klautal

“Cidade Rede” – Val Sampaio

“Vazio” – Berna Reale

“Onde as Borboletas não voam” – Daniele Valente, Vitor Souza Lima e Melissa Barbery

“Cidades Vulneráveis” – Carla Evanovitch

Projetos de outros Estados:
“Plus Ultra” – Oriana Duarte – SP

“Janelas Para o Mundo” – proponente Álvaro Seixas /curadoria Marisa Florido Cesar – RJ

“O Silêncio do Martelo” – Fabrício Carvalho – MG

“Estado-escuta/estado-cegueira” – Raquel Stolf – SC

“Exposição Portátil Coleção” – Regina Mellim – SC

Para os artistas interessados segue o pdf com o edital completo para a inscrição de projetos para o Prêmio Secult de Artes Visuais 2009,

é só clicar na logo e baixar.

Logo Premio Secult

 

Boteco das 11: comida estragada x patrimônio histórico

O Ministério público do Estado encontrou o que já se sabe há tempos, pelo menos para os funcionários do Museu que compartilha o mesmo espaço que esse restaurante, leia notícia que saiu no Amazônia:

O Ministério Público Estadual ingressou com ação civil pública contra o bar, restaurante e pub Boteco das Onze, situado na praça Frei Caetano, s/nº, no bairro da Cidade Velha, pela comercialização de pratos e petiscos com produtos de origem duvidosa, sem registro e ainda com validade vencida. A constatação foi feita em vistoria realizada em junho deste ano em ação de fiscalização rotineira pelos fiscais do Procon, agentes da Vigilância Sanitária (Devisa) e policiais civis da Delegacia do Consumidor.
Na ação, o promotor Marco Aurélio Lima do Nascimento requereu liminar para impedir que o restaurante não armazene e não exponha à venda refeições preparadas com produtos de origem animal clandestina, não registrados junto aos órgãos competentes, ou por via inversa. Em caso de descumprimento, o bar e restaurante será multado em 400 Unidades Fiscais de Referência (Ufir), por cada quilo de produto de origem animal clandestino encontrado no estabelecimento pela Vigilância Sanitária ou Procon.
O promotor também pede ‘indenização por dano moral coletivo causado à sociedade de consumo, a ser depositado no Fundo Estadual de Direitos Difusos e Coletivos, no valor de R$ 26.815,32, correspondente a 400 Ufir, pelos 63,388 kg de produto impróprio ao consumo encontrados no estabelecimento. Os pedidos estão embasados no artigo 57 do Código de Defesa do Consumidor.
Inspeção – Durante a vistoria na câmara frigorífica do Boteco das Onze, os fiscais flagraram a presença de produtos clandestinos e com prazo de validade vencido. Foram 22 kg de queijo sem marca e sem registro nos órgãos competentes; 37,3 kg de queijo coalho, marca ‘Fazenda Aroeira’, sem registro nos órgãos competentes; 4 kg de margarina, marca ‘grandina creme’, com validade vencida há mais de um mês.
Segundo a ação do MPE, a empresa foi autuada pelo Procon por comercializar mercadoria imprópria para o consumo, ‘causando enorme risco à saúde do consumidor’, bem como praticou ‘ilícito civil, causando dano moral a toda coletividade’. Além do que, o promotor entende que ‘os produtos clandestinos como os encontrados no interior do estabelecimento, além dos sérios riscos à saúde pública, acarretam enormes prejuízos à economia de nosso Estado, pois concorrem de forma predatória com a nossa indústria formal, que, por sua vez paga a duras penas seus impostos e obrigações sociais’. (fonte: Amazônia via Espaço Aberto)

Esse é apenas um dos problemas acarretados por este restaurante. Ele é fruto de uma decisão equivocada de aliar gastrônomia e arte no mesmo espaço. Instalado no mesmo prédio que o Museu Casa das Onze Janelas, este restaurante armazena grandes quantidades de alimento, que por consequência atrai ratos e insetos, prejudicando todo o trabalho de conservação e manutenção das obras de arte guardadas e expostas no local. Os funcionários do Museu e o público em geral utilizam o mesmo banheiro, localizado no pátio posterior, por onde todos circulam livremente. O banheiro além disso é vizinho da sala da direção do Museu, compremetendo totalmente a segurança do espaço. Sabemos que uma cozinha industrial utiliza fogões a gás e em grande quantidade, e num prédio de 200 anos é um perigo eminente. A sala Valdir Sarubbi nos altos é sempre invadida pelo odor das frituras dos salgados do Boteco, que borrifa um odor de gordura em todo o ambiente.  É hora de rever esse uso compartilhado deste prédio que foi projetado por Antônio Landi e é o principal museu de arte contemporânea do Norte. A gestão é feita ela Pará 2000, hoje com o Partido Verde e o Museu Casa das Onze Janelas é parte do Sistema Integrado de Museus e Memórias da Secult. Uma sugestão: transferir este restaurante pra um dos inúmeros imóveis antigos na Cidade Velha e do Centro Comercial e instalar no lugar a Reserva Técnica e na Sala de Educadores do Museu. E mais um banheiro por favor…