Palestra de Val Sampaio – Panorama da Arte Digital no Pará

AÇÃO
A intervencão ocorre de duas formas uma física e outra virtual, e começa com ação quando as mangueiras são marcadas fisicamente com numeração e tinta a base d’agua, e ao mesmo tempo a o percurso é demarcado com GPS. As imagens, videos, informações levantados neste percurso estão publicadas e atualizadas no blog da intervenção: http://www.magueirasdebelem.blogspot.com. Estes dados produzidos neste percurso receberão geotags (dados de localização como latitude e longitude) e depois anexadas em mapa que pode ser acessado no blog do projeto.
Na rota das mangueiras os participantes podem caminhar pela rota da intervenção, e abraçar uma, duas, ou todas as árvores que estiverem nesta rota, devem fazer um vídeo, uma foto, e, enviar estes resultados por email (mangueirasdebelem@gmail.com). E, também, fazer um post no blog do projeto com suas informações: nome, hora latitude e longitude, e impressões de sua caminhada. Para participar é necessário ter um celular smartphone com os plugins para enxergar as informações das arvores e video-performance gravadas em QR-Code.
O programa “i-nigma” deve ser baixado e instalado no seu cellular, a camera do celular escanea o código QR-Code fixado em cada árvore, que lhe leva para site com a camada poética e de informação da intervenção.
O acesso aos mapas virtuais e aos vídeos e imagens produzidas nas caminhadas de anotações das árvores, deverá potencializar a intervenção no espaço informacional dos mapas na internet, assim como, uma outra forma de estar com a natureza. Mas, a ação está aberta a a todos que queiram caminhar na trilha das mangueiras. É só seguir o mapa.

Val Sampaio

Pesquisadora, artista, produtora e curadora independente, atuando principalmente nos seguintes temas: cultura visual, processo de criação, semiótica, novas mídias e arte contemporânea. Doutora e Mestre em Comunicação e Semiótica(PUC/SP). Professora Faculdade de Artes Visuais (ICA/UFPA). Coordena e participa atualmente de pesquisa colaborativa cadastrada na PROPESP/UFPA, “Territórios Hibridos”; Membro do Conselho Editorial da Revista Concinnitas (http://www.concinnitas.uerj.br/). Realiza estágio pós-doutoral na ECA/USP. Participa do Grupo Poéticas Digitais, coordenado por Gilbertto Prado.Tem trabalhos nos acervos da coleção Pirelli/Masp, MAM de São Paulo, MAM da Bahia, Fundação Biblioteca Nacional, Sistema Integrado de Museus (PA), Fundação Rômulo Maiorana, Museu de Artes Brasil Estados Unidos (Belém), entre outros.

Rafaelle Ribeiro Rabello

Pesquisadora independente, Mestre em Artes pela Universidade Federal do Pará e autora de artigos científicos que discutem sobre interface, interatividade, realidade virtual, realidade aumentada, arte genética, nanoarte, cibridismo e demais estudos acerca da Arte em Mídias Digitais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s