EXPEDIÇÃO CICLOS

 

A Expedição Ciclos é uma ação de caráter artístico-educacional voltada para a pesquisa, registro, produção e disfusão da cultura e arte amazônicas. Esse processo acontecerá através do trabalho de um coletivo de pesquisadores, jornalistas, artistas e produtores culturais paraenses, que percorrerão todos os estados da amazônia legal, com o objetivo de dialogar com tais realidades através da realização de exposições, performances, vídeos, intervenções urbanas, leituras e outras formas de expressão, tendo como referencial a relação do homem amazônida com a bicicleta. Uma relação que vai muito além da mera função utilitária da bike como meio de transporte, ou da relação fetichista enquanto objeto ou bem de consumo. Uma relação anterior ao conceito “ecologicamente correto” de veículo não poluente, que se manifesta nas diferentes dinâmicas de construção de identidade cultural, provocadas pela inserção da bicicleta no cotidiano das comunidades amazônicas. Compreender a importância da bicicleta enquanto elemento (trans)formador da identidade do povo amazônico, na contemporaneidade, através produção digital de conteúdos artísticos, é a inquietação que impulsiona esses artistas.

O fotógrafo Diogo Vianna, um dos idealizadores da expedição, já apresentou o resultado da primeira etapa da Expedição Ciclos, na Galeria Theodoro Braga, em Belém: uma exposição com vinte fotografias, um vídeo-arte e uma instalação, A exposição Ciclos apresentou a preocupação estética de Diogo Vianna em construir uma obra não limitada a aprender de forma documental a bicicleta na realidade amazônica, mas que se revelasse em uma poética derivada da relação entre o homem e a bicicleta. O material foi produzido ao longo de mais de 2 anos de trabalho, incluindo pesquisa, e captação de imagens, na região metropolitana de Belém e no interior do Estado do Pará.

Além disso, o projeto levou para a Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves uma programação incluindo: uma seção especial no Cine Líbero Luxardo, com o filme Bicicletas de Beleville, seguida de bate papo com o escritor Pedro Vianna; um passeio ciclistico em parceria com o EART, com mais de 200 participantes; além de servir de palco para o projeto Atrito: um labóratório de criação coletiva no espaço da Galeria Theodoro Braga, com vários artistas convidados. Entre eles Alexandre Sequeira, artista visual; Renato Torres, músico e escritor; João Cirilo, artista visual; Leo Chermont, músico e produtor do Casarão Cultural Floresta Sonora; Tom Salazar, compositor e guitarrista; Ulisses Parente, fotógrafo e artista-visual; o ator e performer Netto Dugon; e o músico e escritor Pedro Vianna.

A expedição encontra-se no estado do Amapá. No staff que percorrerá as margens do Amazonas, seguindo de perto a triha deixada pelas bicicletas na pele da floresta, o fotógrafo e video-maker Diogo Vianna, a escritora e produtora cultural Narjara Oliveira, o web-artist e vídeo-maker Kauê Lima; a produtora cultural Gabriela Lacerda; o músico, escritor e produtor cultural Pedro Vianna. Serão 15 dias imersos na realidade da capital Macapá e interior do estado, em um trabalho de pesquisa e coleta de dados, criação de conteúdos artístico-culturais e devolução desses conteúdos à comunidade local. Uma verdadeira maratona artística onde a fotografia digital, o vídeo-arte, a poesia, a úmsica e a intervenção urbana, foram as linguagens escolhidas para interagir com a arte e a cultura amapaenses. A idéia é fortalecer esse processo de construção através do diálogo e da troca de conhecimentos e informações com instituições, grupos, coletivos e artistas da região, estabelendo assim parcerias significativas para a realização do projeto. A Expedição Ciclos também conta com o apoio do Governo do Estado do Pará, da Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves, do Instituto Amazônia Brasil e da Mekaron Filmes.

Diversas ações culturais e artísticas serão realizadas pela equipe da Expedição Ciclos noAmapá. Essas ações permitirão não só um intercâmbio de conteúdos e informação entre os produtores e consumidores de cultura na região, mas a criação de uma rede de comunicação e interação entre os diversos polos de produção cultural na Amazônia. Dentre as ações programadas para o Amapá estão previstas uma exposição do fotógrafo Diogo Vianna, com imagens e vídeos captados nos estados do Amapá e Pará; uma mostra de curta metragens paraenses; intervenções urbanas em vídeo e fotografia; lançamento da Revista PZZ e do livro de poemas Sementes da Revolta, de Pedro Vianna; um passeio ciclistico na cidade de Macapá; e um circuito de palestras e debates sobre arte e cultura contemporâneos na Amazônia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s