Enquete – Quem foi destaque nas artes visuais no Pará em 2011?

O blog Xumucuís escolheu seis artistas como destaques das artes visuais em 2011. É inegável a qualidade da produção artística em Belém apesar de poucos incentivos e, principalmente, espaços expositivos para dar vazão a esta grande produção. O  Museu Casa das Onze Janelas continua sendo a instituição referência em arte contemporânea, e o Centro Cultural Sesc Boulevard surge como uma das melhores infra-estrutura em espaço expositivo.

Roberta Carvalho ganhou prêmio no Diário Contemporâneo de Fotografia com o projeto #Symbioses, trabalho de grande impacto visual que foi convidado a participar para vários circuitos pelo Brasil. A grande exibição deste trabalho foi na Ilha do Combu, região das ilhas na frente de Belém, como resultado dos micro-projetos para Amazônia Legal da Funarte/MINC com o qual #Symbioses também foi contemplado.

Victor De La Roque ganhou prêmio no I Salão Xumucuís de Arte Digital com a interferência na web “Not Found”. Foi selecionado para o Arte Pará 2011 com a performance “Gallus Sapiens III” e participou da exposição “Caos e Efeito” no Itaú Cultural em São Paulo, que pra mim foi a grande mostra de arte contemporânea este ano no Brasil.

Drika Chagas com “Cidade Labirinto” levou seu grafite para o Centro Cultural Sesc Boulevard com uma grande instalação que foi sendo construída aos olhares do público. Foi uma grande surpresa ver a jovem artista levar seu poderoso grafite para uma galeria de forma tão inventiva e imersiva.

Flavya Mutran é Mestre em Artes e teve seu trabalho “Pretérito Imperfeito de Territórios Móveis” exposta em Porto Alegre, resultado do prêmio da Funarte, e em Belém, contemplado pelo edital do Espaço Cultural Banco da Amazônia. Flavya mergulhou na web com sua fotografia e pensamento e criou um universo de reflexão da identidade sem perder a potência das imagens.

Keyla Sobral encontrou em sua poesia visual, em seus singelos desenhos, uma forma corajosa e bela de extravasar sua arte e seu íntimo.  A individual “Lá fora é bem melhor do que aqui dentro”  num flerte com a literatura definiu Keyla como artista, em vida e arte. Prêmio Aquisição no Arte Pará 2011, Keyla desenvolveu este trabalho com a Bolsa de Pesquisa do Instituto de Artes do Pará.

Marcone Moreira ganhou o maior prêmio das artes visuais no Brasil, o Marcantônio Villaça. Produzindo sua obra em Marabá, com a participação da comunidade, Marcone é um jovem veterano das artes no Pará. Suas grandes obras possuem uma força primitiva, numa forma de arqueologia de artefatos que o artista inventa com os resíduos de uma amazônia em transformação.

Anúncios

10 comentários em “Enquete – Quem foi destaque nas artes visuais no Pará em 2011?”

  1. Com todo cariho e respeito a meu caro Ramiro e amigos artistas concorrentes (que votei também neles), mas não posso deixar de citar alguns nomes aqui, como Armando Queiroz, que com ética e inteligência vem lançando seu olhar para a região de forma estética e crítica e leva isto para dentro da região, nas vilas e lugarejos por onde atua e para fora, como na 16 Bienal de Cerveira em Portugal e a A 3a Bienal del Fin del Mundo, Caos e Efeito, etc. E não posso deixar passar me brancas nuvens o grande trabalho de Paula Sampaio, presente no último Panorama da Arte Brasileira, Alberto Bitar, Dirceu Maués, Alexandre Sequeira….dentre outros.

    1. Obrigado pelo comentário Orlando, concordo com você, a postagem é pra movimentar mesmo e gerar discussão. Citei apenas esses nomes pois foram os artistas que fizeram exposições/projetos individuais de grande impacto. A plataforma do blog é dinâmica e vou incluir Alberto Bitar e o Dircéu Maués que tiveram um 2011 intenso mesmo. Quero fazer outra postagem sobre curadoria e aí sim falar sobre o Armando Queiroz…

      1. Querido, as participações de Armando Queiroz que estou citando é como ARTISTA nessas bienais e mostra. PS. Sabes que te apoio, mas acho que seria muito mais válido, do que enquete, um olhar reflexivo sobre eventos e participações aqui e fora. Abraço forte

  2. Toda forma de expressão artística é válida desde que haja a intenção de ser arte, mas quando um artista consegue ir além da vaidade e egocentrismo, ele alcança a sua obra prima! e ninguém consegue explicar a emoção quando esta diante de uma obra prima, apenas suspiramos e nos emocionamos, por estar além da vaidade, por estar nos acrescentando uma sensação única e espetácular!
    Obrigada Roberta Carvalho por nos proporcionar essa maravilhosa sensação de estarmos diante de uma obra prima! você nos presenteou e nos enche de orgulho!
    sucesso mais ainda, você merece!

    Um abraço ao querido Ramiro Quaresma!
    Parebéns para todos os artístas Paraenses!

  3. To me divertindo com esse bate bola, ainda mais porque embora nao tenha sido citado, minhagravura foi escolhida pelo Xumucui para ilustrar o debate, la em cima, no frontispicio. Obrigado Ramiro. Abraco. Ruma.

    1. Criei esse enquete contemplando a geração de artistas surgidos nos últimos anos. Os nomes são muitos, todos bastante atuantes. A geração 2000, digamos assim, que atua com novas tecnologias, convergências artísticas, performance… Você faz parte da história da arte no Pará e as gravuras digitais vieram com toda a técnica e intensidade da pintura. Valeu Ruma.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s