VIVO ARTE.MOV Belém – 22 a 26 de Setembro de 2010

Calendário

De 22 a 26/09 em Belém

LOCAL BASE: FÓRUM LANDI
exposições, simpósio, lounge multimeios, workstation (rádio/sala de produção), informações gerais

MOSTRA FIXA ARTE.MOV
Pier das 11 janelas

PERFORMANCES/EVENTOS AUDIOVISUAIS
Praça do Carmo, Pier das 11 Janelas, Praça São Joãozinho

  1. 22/09

    Bicicletada!19h – concentração no mercado de São Brás

  2. 23 a 26/09

    1. EXPOSIÇÃO EIXO TEMÁTICOLocal: Fórum Landi
    horário: 14h às 23h

    OUVIDORIA (instalação)
    Lourival Cuquinha

    ÁGUA (instalação)
    Valzeli Sampaio

    Rede [aparelho]-: rádio atividade
    Transmissão FM 106,5 MHz
    estúdio de transmissão e produção radiofônica

23 a 26/09 2. Simpósio OPEN-SPACES

  1. Dia 23/09, quinta-feira

    18hNovas cartogafias urbanas: corpo, espaço e movimento redesenhando cidades apresentação: Giseli Vasconcelos, Lucas Bambozzi e Rodrigo Minelli

    18h45showcase: Água – Valzeli Sampaio

    19h30Neural.it (confirmar tema) Alessandro Ludovico

    20h30LOUNGE MULTIMEIOS
    bate-papo sobre a Mostra Regional
    Jorane Castro e convidados (confirmar convidados)

  2. Dia 24/09, sexta-feira

    18hO espaço em movimento, a paisagem em adaptação
    (experiência urbana e suburbana, mapeamento subjetivo, as formas de comunicação da cidade (local x global), landmarks, ecossistemas, entradas e saídas, macro-economias e bio-pirataria)
    Debatedor: Marcus Bastos
    Marisa Mokarzel (PA) – curadora
    Ricardo Folhes (PA) – PSA/georeferenciamento
    Ivana Bentes (RJ)

    19hA construção da identidade e do imaginário local pelas mídias [visibilidade/invisibilidade]: fluxo, refluxo e reinterpretações
    (perspectivas imediatas, filosofia e práticas do presente)

    Debatedor: Rodrigo Minelli (MG)

    Fabiane Borges (SP) – Virtualidade e sexo: narrativas e consciência social
    Orlando Maneschy (PA) – Imagens e arquétipos da identidade
    Lala Dehenzelin – Movimento CrieFuturos (SP)

  3. Dia 25/09, sábado

    19hAs novas negociações: o movimento, como reinvenção, a formação de canais paralelos (os novos desenhos do espaço entre a ocupação informal, propostas coletivas, o papel das redes, novas forças de negociação diante das políticas públicas)

    Debatedor: Lucas Bambozzi

    Cícero Silva (SP) – Transborder Immigrant Tool
    Lourival Cuquinha (PE)
    Jarbas Jacome (PE) Plataformas open-source mobile
    Joesér Álvarez (RO) – coletivo madeirista

    19h30LOUNGE MULTIMEIOS
    bate-papo com Fabiane Borges e Hilan Bensusan, lançamento do livro Breviário de Pornografia Esquizotrans

  4. Dia 25/09, sábado

    19hAs novas negociações: o movimento, como reinvenção, a formação de canais paralelos (os novos desenhos do espaço entre a ocupação informal, propostas coletivas, o papel das redes, novas forças de negociação diante das políticas públicas)

    Debatedor: Lucas Bambozzi

    Cícero Silva (SP) – Transborder Immigrant Tool
    Lourival Cuquinha (PE)
    Jarbas Jacome (PE) Plataformas open-source mobile
    Joesér Álvarez (RO) – coletivo madeirista

    19h30LOUNGE MULTIMEIOS
    bate-papo com Fabiane Borges e Hilan Bensusan, lançamento do livro Breviário de Pornografia Esquizotrans

22 a 25/09
3. WORKSHOPs

ADC Belém Tour
por Tal Isaac Hadad (Paris)
local: IAP (sala multimeios)
inscrição prévia no IAP até às 14h – 8 vagas
22, 23, 24/09 – 9h às 14h

Circuit Bending
por Cristiano Rosa (Porto Alegre)
Local: IAP (atelier)| Duração: 4 dias/3h dia
inscrição prévia no IAP até às 14h – 20 vagas
Dias: 24, 25, 26 – 9h às 12h

Fotonovela (Toothing|Sexting)
por Fabiane Borges e Nacho Duran (São Paulo)
Local: Fórum Landi (lounge multimídia)
Lista de interessados no Fórum Landi até às 14h – 30 vagas
Dias: 23 e 24 – 14h às 17h

23 a 26/09
5. MOSTRAS AUDIOVISUAIS

Fórum Landi (LOUNGE MULTIMEIOS)

  1. Dia 23/09

    20h30Mostra temática por curador local: Jorane Castro
    Uma mostra que busca no local/regional a perspectiva de novos cenários, novas paisagens e contextos, e que se amplifica de forma capilar pelos demais hubs do Vivo arte.mov.

  2. Dia 24/09

    20h30Mostra Internacional
    AND – Abandon Normal Devices 2009, Future Films 2009 San Jose Zero1, Honk Kong 2010, DOTMOV 2009

Pier das 11 Janelas

  1. Dia 25/09, sábado

    20hMostra competitiva 2006/2009 Seleção de vídeos apresentados ao longo dos 4 anos do festival

  2. Dia 26/09, domingo

    20h20h Arqueologia Digital Imediata [o recentísssimo já é história] ] (falta tempo) O presente projeto propõe uma arqueologia precoce, quase instantânea, de processos produzidos nas duas últimas décadas, através de micro-documentários, entrevistas, apresentação em festivais como ForumBHZvideo, Mídia Tática Brasil, Hacklabs, Submidialogia, entre outros. São eventos que, cada qual a seu modo, discutiram as possibilidades de intervenção nas mídias, apontando perspectivas para um redimensionamento de seus usos, para fins sociais, artísticos ou políticos.

    Scaneando um dia em São Paulo – Daniel Lima (falta tempo)

BIKE.MOV (circuito itinerante Cidade Velha)

  1. Dias 22, 23 e 24/09 – horários alternados

    20hDia Pedalando e Educando – Argos Caruso Saturnino

24, 25 e 26/09
6. EVENTOS AUDIOVISUAIS
Performances e atividades especiais
Local: Praça do Carmo, Pier das 11 janelas, Praça São Joãozinho

  1. Dia 24

    21h30Performance ADC Belém Tour- Tal Isaac Hadad
    Premiação dos bikeiros selecionados pelo projeto

  1. Dia 25

    17hFUT MOV – HAPAX

    21h30Simbiosis – Roberta Carvalho
    (circulante) BIKE.MOV/Fotonovela – Nacho Duran e Fabi Borges

  1. Dia 26

    17hFUT MOV – HAPAX

    21h30BIKE.MOV/Circuit Bending – Cris Rosa

Sobre

Em Belém, o Vivo arte.mov dialoga com as particularidades do cenário local, ao buscar formas possíveis de leitura da identidade e do imaginário amazônico. Discutindo a “visibilidade” e a “invisibilidade” na cidade, tanto em termos de representatividade identitária como nas formas de acesso aos meios de expressão, as várias atividades do festival abordam a formação de novas redes de comunicação, em que o celular funciona como alternativa para a ausência de outros tipos de infra-estrutura.

O recorte temático do festival discute, assim, a sustentabilidade e os usos alternativos da tecnologia, abrangendo experiências que buscam a intersecção entre mídias portáteis e usos inesperados de recursos e aparelhos cotidianos.

Ao discutir “o espaço em movimento e a paisagem em adaptação”, o Vivo arte.mov em Belém reflete também sobre temas como o crescimento subjetivo da cidade, espaço informacional, ecossistemas (o horizonte turvo, a mobilidade e a vida permeadas pelo rio), bem como sobre as singularidades de uma visão voltada para o hemisfério norte, entradas e saídas, macro-economias e biopiratarias.

A construção da identidade e do imaginário local pelas mídias, com todas as reinterpretações disponíveis, é outro entre os tópicos do festival, que propõe ainda uma discussão em torno dos registros audiovisuais ligados ao corpo e às questões de gênero.

Outro viés de debate passa pelos atores de uma economia urbana redesenhada pelas práticas informais (vendedores ambulantes e fronteiriços) no universo específico de Belém, tematizando a mobilidade na geografia da cidade, a re-emergência de empresas espaço-rua e de bazar, as gambiarras tecnológicas e seus usos na esfera social, subversões funcionais e apropriações dos meios como formas de intervenção e participação em uma nova cartografia da cidade.

O espaços previstos para o Vivo arte.mov em Belém compreendem a Praça Frei Caetano Brandão, a Casa das 11 Janelas e arredores, até a Praça do Carmo, em um corredor cultural formado por pontos tradicionais e marcos históricos locais.

EXPOSIÇÃO “EIXO TEMÁTICO”:
Exposição de caráter lúdico, informativo e ilustrativo dos conceitos abordados, através de projetos que ocupam um espaço expositivo ou de circulação.

OUVIDORIA
Lourival Cuquinha

O projeto é uma áudio exposição. No período da exposição alguns telefones públicos ficarão a disposição do publico que poderá ligar gratuitamente para qualquer lugar do mundo. Porém todas as conversas estarão sendo processadas e transmitidas em tempo real para um outro espaço expositivo totalmente escuro. Os telefones serão “orelhões” customizados com a “marca” do OVIDORIA, companhia fictícia do projeto. Nos orelhões, teremos uma sinalização, uma placa, por exemplo, explicando o que está acontecendo para o usuário. Qualquer pessoa poderá ligar pra qualquer lugar do mundo gratuitamente, mas compartilhando a informação. Os áudios de algumas das ligações poderão ser alterados ou transmitidos na integra em tempo real para que sejam ouvidos na sala escura. Mas o áudio final no espaço sempre será uma mistura deles. Um robô digital que estamos desenvolvendo com o software Pure Data se encarregará desta transmissão ao vivo. A quantidade de línguas e sotaques diferentes levará esta mistura auditiva na direção estética de uma metáfora entre globalização e torre de babel.

Fizemos outra versão desta obra na exposição O Lugar Dissonante, Recife, 2009, mas agora teremos a obra completa. Naquele momento tivemos o apoio de uma companhia telefônica que nos cedeu a ligações locais gratuitas, porém nesta versão final teremos quatro assinaturas Skype e quatro estações de rede em mini Netbooks (um conjunto destes para cada orelhão Ouvidoria) possibilitando a ligação para qualquer lugar do globo.

Objeto
Este trabalho tem como objetivo tornar o publico participante co-autor, cúmplice e espectador da obra. O OUVIDORIA sugere pensamentos sobre o controle e o descontrole da informação objetivando uma instalação sonora totalmente acessível. Telefones públicos (orelhões) com a marca OUVIDORIA e uma sala interna. Os orelhões ligam gratuitamente para qualquer lugar do mundo e estarão nos arredores do espaço expositivo. Numa sala escura com almofadas se ouvirá o som destas ligações mixadas em tempo real. Os telefones terão avisos explicando que a ligação é gratuita, porém transmitida para quem queira ouvir dentro da sala. É importante evidenciar que a gratuidade das ligações durante a exposição proporciona atrativos utilitários e estéticos para o publico. Pessoas que nunca entraram em contato com arte contemporânea serão “fisgadas” pela isca do telefonema grátis. O trabalho proporciona um contato do publico que não estaria ali sem a vantagem da ligação, mas que poderão (até pela “distância conceitual”) viver o trabalho de formas bem inesperadas.

EVENTOS AUDIOVISUAIS

Performances E ATIVIDADES ESPECIAIS

Bike.mov
Coordenação: Giseli Vasconcelos | Desenvolvedor local: Fernando D’Pádua Bike estruturada para performances, mostras audiovisuais e publicidade do evento nas ruas. Esta bike é de propriedade do Vivo arte.mov com finalidade de circulação em outros eventos. A bicicleta será desenvolvida em etapas, que vão do desenvolvimento da estrutura física (suporte para equipamentos, solução para recarga de energia, montagem/desmontagem) ao design e customização.

Rádio Transmissão FM 106,5 MHz – Redários [aparelho]-:
Coordenação: Giseli Vasconcelos | Programação: rede [aparelho]-: A rádio além do seu caráter difusor, também deverá cumprir um papel de “ferramenta de integração” das diversas atividades promovidas pelo evento. Sua programação estará integrada aos conteúdos do arte.mov e aberta outras experiências sonoras em conexão com a Bike.mov. Redários pretende realizar no período do festival atividades audiovisuais que reflitam a mobilidade e identidade popular nas ruas de Belém, notadamente para a área de abrangência do festival.

ADC Belém Tour – Locative Media Recording
Coordenação: Giseli Vasconcelos | Parceria: ADC/Tal Haddad Isaac Equipes de som – especializadas em aparelhagens de pequeno porte, automotivas e/ou bikes são convidadas a desenvolver projetos de comunicação audiovisual e sonora para performance e premiação no Festival arte.mov_Belém. Compreende-se por comunicação audiovisual e sonora projetos que contemplem o uso de dispositivos comunicacionais para texto e/ou imagem, tais como rádio transmissores, gps, sms, video cameras etc. As equipes serão selecionadas e convidadas para participar de um iniciativa work in progress.

O Jogo de Guerra
A partir do jogo The Game of War, idealizado por Guy Debord foi pensada uma adaptação para sua apresentação em larga escala (como em uma reactable gigante, cujas peças ou pessoas ao se moverem ativam sons e imagens através de seu posicionamento por GPS. O local de realização deve ser a Praça Frei Caetano Brandão (foto abaixo) onde além da pouca obstrução de acesso a dados por GPS, existe também a possibilidade de uma visualização aérea a partir de câmeras que poderiam ser posicionadas nos edifícios à sua volta. A praça faz parte de um complexo cultural que se irradia a partir da Casa das Onze Janelas, que sediará o Vivo arte.mov em Belém.

Proposta HAPAX

Pelada – jogo de futebol a partir do Game of War
Local: praça do Carmo

EBOOK: Lançamento nacional
Truquenologia – Elementos para se pensar uma teoria para a gambiarra tecnológica. Ricardo Rosas

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s