Destaque

Diagrama

Exposição “Diagrama” na abertura da Galeria Elétrica
Em Belém quando pensamos em comprar ou consertar equipamentos de som, luz e imagem a referência é a travessa Frutuoso Guimarães, no Bairro da Campina, com suas mais de 30 lojas voltada ao comércio de eletroeletrônica em meio ao caos do Centro Comercial. Lojas e oficinas onde o low e o high tech , a pirataria de mídias e as rádios-cipó agora compartilham de um espaço ligado à arte contemporânea e suas interfaces tecnológicas. Uma iniciativa do professor e curador Ramiro Quaresma e da museóloga Deyse Marinho, que depois de mais de 10 exposições, em cinco anos, ligadas à arte e tecnologia como o Salão Xumucuís de Arte Digital e o Panorama da Arte Digital no Pará, transformaram o porão de casa na Galeria Elétrica, se inspirando na temática eletroeletrônica da rua e de suas experiências expográficas em artemídia.
As obras de arte digital de trinta artistas brasileiros que participaram das exposições do Xumucuís foram selecionadas para compor a exposição de abertura, “Diagrama”, com obras do acervo dos projetos. “A arte digital, em sua virtualidade e reprodutibilidade, criou novos dilemas para preservação e conservação de obras de arte. O acervo digital é guardado em discos rígidos e em nuvem, e as gravuras digitais já impressas sempre ocuparam as paredes de nossa casa. É uma nova concepção de coleção, não temos a propriedade delas, contatamos os artistas para propor essa exposição que revisita nossas exposições passadas e juntas e neste espaço simbólico adquirem novo sentido” comenta a museóloga Deyse Marinho, assistente de curadoria da exposição.
A proposta curatorial da exposição “Diagrama”, que inaugura a Galeria Elétrica, é composta de videoarte, projeções e gravuras digitais, e é uma referência do curador Ramiro Quaresma ao seu processo de pesquisa, idealização e realização das exposições “o diagrama é a primeira coisa que fazemos, dividindo os artistas em setores, em temáticas, pra depois subverter essa organização primeira para a fruição do público. Diagramar uma exposição é escrever com obras de arte, com o objetivo de levar ao público uma ideia, um conceito, uma imersão artística.”.
Os artistas convidados e que compõe a exposição, em ordem alfabética, são: Alexandre Silveira/sp, Algodão Choque/df, Cléber Cajun/pa, Denis Siminovich/rs, Diego De Los Campos/sp, Diogo Brozoski / rj, Diogo Vianna / pa, Eduardo Montelli/rs, Evna Moura/pa, Flamínio Jallageas/sp, Fernando Gregório & Vitor Negri/sp, Flávia Souza/pa, Henrique Montagne/pa, João Penoni/rj, John Fletcher / pa, Júnior Suci / sp, Leo Venturieri/pa, Lúcia Gomes/pa, Marcelo Armani / rs, Melissa Barbery / pa, Neuton Chagas / pa (in memorian), Paul Setúbal & Verônica Noriega /df, Pedro Vianna / pa, Renata Aguiar / pa, Ruma/pa, Shima /mg, Thales Leite/rj, Turenko/am, Valério Silveira/pa e Vanja Von Seck/pa.

Serviço:
Exposição “Diagrama”
Quando: 15 de Abril de 2016 às 20h.
Onde: Galeria Elétrica, Tv. Frutuoso Guimarães, 602. Campina. Belém-PA
Entrada franca

Destaque

SPAM_Xumucuís / Ocupação de Arte Contemporânea

SPAM REDE DIV

Com Cléber Cajun, Diogo Vianna, Flávia Souza, Henrique Montagne Figueira e Renata Aguiar

Curadoria: Ramiro Quaresma

Ass. de Curadoria: Deyse Marinho

Abertura da ocupação artística SPAM Xumucuís, no prédio da Universitec, Agência de Inovação Tecnológica da UFPA, na terça-feira (31), a partir das 9h, dentro da programação de aniversário de seis anos da Agência, localizada no Setor Profissional da instituição, no Campus Guamá.

Destaque

Catálogo_III Salão Xumucuís de Arte Digital

Salão Xumucuís de Arte Digital

III Salao Xumucuis CapaNesta edição são 36 artistas selecionados para a exposição e premiação, com obras em arte sonora, video-objeto, gravura digital, ações performáticas, web arte, artemídia, video arte e instalações, Paraenses e brasileiros juntos em uma narrativa contemporânea em exposição, obras de um tempo que é hoje.
Aldo Pedrosa (MG), Alexandre Silveira (SP), Ben Neumann (SP), Bruno Osório (RS), Cássia Correa Pereira, Marcelo Roberto Gobatto e Roger Neves Machado (RS), Chico Santos (PR), Coletivo Algodão Choque (DF), Diego de Los Campos (SP), Diogo Brozoski (RJ), Ednaldo Britto e Marcilio Costa(PA), Evna Moura (PA), Fernando Gregório e Victor Negri (SP), Fernando Velazquez e Giselle Beiguelman (SP), Henrique Montagne (PA), Hugo Nascimento (PA), João Agreli (MG), John Fletcher (PA), Leandro Dário (SP), Leonardo Venturieri (PA), Lou Amâncio e Matheus Aguiar (PA), Luisa Puterman (SP), Melissa Barbery (PA), Osvaldo Carvalho (RJ), Paul Setúbal e Veronica Noriega (GO), Pierre Lapalu (PR), Renata Roman (SP), Rodrigo Moreira…

Ver o post original 59 mais palavras

Destaque

Hiper_Espaços Xumucuís – Etapa Belém

Projeto Belem  - Flyer

Após uma expedição de duas semanas em João Pessoa (PB) onde foi realizada vivência artística, ciclo de bate-papos, oficinas e exposição (veja aqui), “Hiper_Espaço Xumucuís” realiza em Belém a segunda etapa do projeto entre 16 e 27 de junho de 2014. Na primeira etapa artistas visuais paraenses foram para a vivência na capital do estado da Paraíba, e juntaram-se a um grupo de artistas paraibanos, entre os dias 05 e 14 de maio, para experimentações diversas de arte e vida que resultaram na exposição coletiva em cartaz na Estação Ciência Cultura e Artes, em João Pessoa no período de maio a junho. Nesta segunda etapa, em seu curso inverso, onde artistas paraibanos vem a Belém para vivenciar a cidade e os rios que a cercam, criando, interagindo com artistas e o público local na sede do Fórum Landi, na Cidade Velha, será realizado o atelier aberto, os bate-papos e a exposição de trabalhos. Segundo Deyse Marinho, museóloga e coordenadora do projeto “nesse atelier todos, artistas e público, são bem-vindos para acompanhar o processo de criação artística, da gênese criativa, materialização da obra, até o momento de sua exposição”.

Os artistas visuais Edilson Parra e Thercles Silva, juntamente com o curador associado ao projeto Dyógenes Chaves, desembarcam pela primeira vez em Belém para viver a efervecência artística, social e cultural da cidade. Eles se juntam em Belém aos artistas Fábio Graf e Jeyson Martins, que participaram da etapa João Pessoa, mais Cledyr Pinheiro, Veronique Isabelle e Diogo Vianna, em um atelier aberto na sede do Fórum Landi entre os dias 16 e 21 de Junho (Segunda a Domingo). Desta nova vivência artística e dos intercâmbios será montada a exposição “Sussurro dos Rios”, que abre dia 23.06 no mesmo espaço.

Comenta sobre o projeto Edilson Parra, na expectativa da vivência  “O contato com o norte do Brasil sempre foi algo presente em meus sonhos, pois considero que  nesta região se encontra a última parcela do nosso planeta, em condições de se observar os nichos diversos que mantém a natureza na sua mais pura complexidade. Foi com este entendimento que vivenciei entre muitos diálogos com os artistas de Belém do Pará a dimensão da problemática que envolve a morte de um rio, conforme constatamos em uma das visitas ao Jaguaribe em nossa cidade.”

O idealizador e curador do projeto, Ramiro Quaresma, fala que o projeto “é uma iniciativa para conectar duas regiões do País, duas cidades, de realidades tão diferentes e tão próximas. Estimular e provocar essa interação artística foi uma grande experiência curatorial e humana”. O projeto tem como tema a relação das cidades e os rios que a cercam, as questões ambientais e sociais dessa interação, preservação versus “desenvolvimento”. Os rios Guamá, em Belém, e Jaguaribe, em João Pessoa, são o referencial imagético para o projeto, suas delicadas relações periféricas de ocupação, onde um conflito se instaurou. Os artistas escolhidos pra participar do projeto tem uma relação muito próxima deste universo líquido de cores e sentidos.

Contemplado no edital Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais 10a Edição, é uma iniciativa do blog Xumucuís,  com apoio institucional do Fórum Landi e UFPA, parceria A Senda, Casa Fora do Eixo Amazônia e Glocal Arts, em uma realização Funarte e Ministério da Cultura.

 


Serviço:

Hiper_Espaços Xumucuís [Guamá/Jaguaribe] – Segunda Etapa

Fórum Landi, Cidade Velha, Belém-Pará – Atelier aberto de 16 a 21/06, de 09 às 17h

Bate-papo (Pós-TV) com os participantes do projeto dia 23/06 às 18h

Exposição “Sussurro dos Rios”, abertura dia 23/06 às 19h como visitação até 27/07/2014

 

 

Biografia dos participantes:


Ramiro Quaresma é mestrando em Artes, PPGARTES-ICA-UFPA, possui graduação em Comunicação Social – hab. Publicidade e Propaganda pela Universidade da Amazônia (1999). Pesquisa arte e tecnologia e suas aplicações em artes visuais e preservação do patrimônio audiovisual. É curador independente/ pesquisador de artes visuais/artemídia e cinema. Idealizou os blogs Xumucuís e Cinemateca Paraense. Contemplado em 2014 no programa Rede Artes Visuais Funarte 10° Edição e em 2013 no Conexões Artes Visuais MINC-Funarte. Idealizou e realizou o I (Oi Futuro), II (Conexão MINC/Funarte/Petrobras) e III (Oi Futuro) Salão Xumucuis de Arte Digital, a exposição Panorama da Arte Digital no Pará (Prêmio Banco da Amazônia de Artes Visuais – 2012) e o projeto “Cinema no Pará:História e Memória” (Edital Projetos Culturais Banco da Amazônia – 2012). Entre 2002 e 2008 trabalhou como coordenador multimídia, projetos culturais e design gráfico para o Sistema Integrado de Museus da SECULT-PA para o Museu da Imagem e do Som, Museu do Estado do Pará e Espaço Cultural Casa das Onze Janelas.

Dyógenes Chaves vive e trabalha em João Pessoa-PB desde 1966. Artista visual, designer gráfico e de moda, gravador, crítico de arte (ABCA/AICA) e curador independente. Cursos de iniciação (história da arte, desenho e pintura) na Coordenação de Extensão Cultural da Universidade Federal da Paraíba-Coex/ UFPB (João Pessoa, 1974-75) e de desenho e gravura na Fundação Espaço Cultural da Paraíba-Funesc (João Pessoa, 1984). Bolsa de Estudos (Ministére des Affaires Étrangères/ França) na École Supérieure des Beaux Arts Luminy (Marselha/ França, 1997-98). Professor do Curso de Produção em Moda (Funetec/ IFPB) e do Curso Superior de Moda (Unipê). É consultor do Sebrae-PB na área de Estamparia têxtil. Ex-coordenador de artes plásticas da Funesc (João Pessoa, 1993-2010) e ex-diretor da Galeria Archidy Picado. Curador das Bienais de Gravura e de Desenho (Fenart, João Pessoa), coordenador de intercâmbio internacional das associações Le Hors-Là Paraíba (Brasil-França) e REDE (Brasil-Suíça). Avaliador do Programa BNB de Cultura (Artes visuais, 2009-2011) e do Funcultura (Artes visuais, Fundarpe, Recife, 2011). Atuou como jurado e palestrante em diversos Salões e Fóruns de Artes Visuais. Editor das revistas (Artes visuais) Segunda Pessoa e Cadernos de Cultura (João Pessoa). Colaborador (Artes visuais) nos jornais O Norte e A União/ Correio das Artes (João Pessoa, 2005-2010), e no jornal da ABCA. Organizou o livro Núcleo de Arte Contemporânea da Paraíba-NAC (Coleção Fala de Artista/ Edições Funarte, Rio de Janeiro, 2004) e publicou: Dicionário das Artes Visuais na Paraíba (Fundo Municipal de Cultural-FMC/ Funjope/Edições Linha D’Água, João Pessoa, 2010) e 2005-2010 – Ensaios sobre Artes Visuais na Paraíba (Programa de Cultura BNB/ BNDES, 2OU4 Editora, João Pessoa, 2013). Membro do Colegiado Setorial de Artes Visuais-CSAV/ MinC (2005-2009 e 2010-2011). Suplente do CSAV no Conselho Nacional de Política Cultural-CNPC/ MinC (2010-2011). Membro do Colegiado Setorial de Moda- CSM/ MinC (2012-2013).

Deyse Marinho é museóloga (UFPA), pesquisadora de artes visuais e produtora cultural. Coordenadora Geral e Designer das três edições do Salão Xumucuís de Arte Digital, do Panorama da Arte Digital no Pará e da Exposição “Sussurro dos Rios” (João Pessoa – PB). Idealizadora do projeto “Acervos em Movimento: Os Museus do Pará e Suas Coleções”, contemplado do Edital de Projetos Culturais do Banco da Amazônia (2012).

Edilson Parra é formado em Filosofia, trabalha com materiais e técnicas diversas. Desenvolve pesquisas sobre armas e armadilhas o que serve como suporte para fundamentação da sua produção em artes visuais. Participa do intercâmbio Brasil/França, tendo inclusive realizado residência artística em Marseille. Atualmente é também Coordenador de Artes Visuais na Fundação Espaço Cultural de João Pessoa/PB.

Thercles Silva é natural de Campina Grande (PB), mas vive na cidade de João Pessoa há 20 anos. Cursou Educação Física na Universidade Federal da Paraíba e rumou para as lentes nesse período. Atualmente ele vem retratando o seu cotidiano através de imagens enigmáticas geradas a partir da fotografia equirectangular, nas quais expõe ao observador ambientes em 360º.  E esta característica lhe rendeu uma citação na Fotografia Paraibana Revista (2013), a qual o menciona como sendo um dos representantes da novíssima geração de fotógrafos paraibanos que imprimem inventividade e inquietação à fotografia, utilizando-se de ferramentas tecnológicas, que fazem a diferença, pois resgatam o sentido primordial da contemplação de uma imagem, salvando da banalidade do clique fácil e de uma fruição fast food. Em dezembro de 2013, foi patrocinado pelo Consulado Francês para realizar um intercâmbio cultural, onde pode conhecer a cidade de Marseille/FR e artistas que fizeram parte da Associação Le Hors-Là, responsável, durante 20 anos, pelo intercâmbio de artistas entre França e Brasil.

Jeyson Martins é publicitário, formado em Comunicação Social (UFPA), designer gráfico e fotógrafo. Trabalha com suportes híbridos entre a fotografia e o grafite. Fez as exposições individuais “Interlúdio” (Gotazkaen) e “Olhar Urbano” (Galeria Theodoro Braga). Participou do Movimento HotSpot (2013) na categoria fotografia sendo um dos finalistas. É oficineiro da Associação Fotoativa.

Véronique ISABELLE realiza uma pesquisa poética com a pintura, a gravura e a instalação. Originária de Québec, no Canadá, ela trabalha agora principalmente em Belém. Ela é mestre em Antropologia Social pelo PPGA / Universidade Federal do Pará e doutoranda pelo PPGSA. Ela tem uma graduação em Artes Visuais pela Universidade Laval (Québec) e pela École Supérieure des Beaux-Arts de Marseille (França). Ela tem participado de várias exposições em Quebec, na França, em Belém e São Paulo e vários projetos de colaboração com artistas, instituições locais e diversas comunidades. Principais Exposições : Exposições solos: “Larguer les Amarres” -2005,  “Le quai et l’écho -2008 na Galerie 67, em Québec (Canadá), “Paisagens engolidas” – 2013 na Casa Rosada em Belém.  Exposições Coletivas : “Beautifull Étranger” – 2006 na Galeria Mongrand em Marselha, França; 26° Simpósio Internacional de Arte Contemporânea de Baie-St-Paul -2008 (Canadá); “Realidades Transitórias” – 2008, apresentada na Casa das 11 Janelas, em Belém. “Gravura contemporânea no Para”- CCBEU, em Belém – 2011 “Vento Norte” na Galeria Brasileira, em São Paulo – 2012. Exposiçoes em duo com Elaine Arruda: “Paná Paná”, na Galeria Théodoro Braga; “Entre nós” na Fotoativa– 2010; SP Estampa; XXX Salão Arte Pará como artistas convidadas – 2011; organizou e participou do projeto “Coletiva/Coletivos” reunindo três exposições coletivas e ciclos de conferência ; Ela participou ativamente do coletivo do Atelier do Porto 2010-2013; Curadoria do projeto “do Norte ao Norte” com artistas canadenses no Brasil – 2014.

Diogo Vianna é fotografo e artista multimídia. Idealizador do projeto Ciclos, que percorreu todas as capitais da Amazônia registrando a relação do homem com a bicicleta. Realizou exposições individuas em Belém, Macapá e Londres. Trabalha com video e projeção mapeada. Assistente Cultural da Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves.

Cledyr Pinheiro nasceu em Catolé do Rocha (PB). Autodidata, já fez 5 exposições individuais, foi bolsista do Instituto de Artes do Pará -IAP e participou em 1997 do Salão Arte Pará.  Tem obras nos acervos Pinacoteca do Estado – Manaus – AM.; Casa da Cultura – Manaus – AM.; SEBRAE Nacional – Brasília – DF.;Museu do Estado – Belém – PA.; Fundação Rômulo Maiorana – Belém – PA.; Universidade da Amazônia – Unama – Belém – Pará e Jardim das Esculturas – Instituto de Artes do Pará – IAP – Belém – PA.

Fábio Graf é natural de Belém do Pará. Faz parte do Coletivo Cosp Tinta, movimento pioneiro no grafite na capital paraense,e do Coletivo Casa  Preta, que trabalha com afro desenvolvimento e tecnologia. Oficineiro dos projetos Biizu (Secom) e Circuito das Artes (FCPTN). Já participou de projetos de arte urbana em várias estados do país como Maranhão, Paraíba, Bahia, Brasília, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

Destaque

III Salão Xumucuís de Arte Digital / Intervenções e Ações Formativas

Salão Xumucuís de Arte Digital

Acoes Formativas III Salao

A abertura da terceira edição do Salão Xumucuís de Arte Digital, no dia 25 de Março no Espaço Cultural Casa das Onze Janelas foi o início das ações de exposição, intervenção, formação e discussão do projeto, que se consolida entre o circuito da arte contemporânea em interface digital no Pará e no Brasil. Nesta semana serão realizadas as intervenções propostas por artistas no espaço urbano de Belém e entre os dias 08 e 10 de Abril as oficinas e as mesas de debate com os artistas participantes.

MÍDIAS SELVAGENS

Entre as intervenções estão o projeto “Zonas: Paisagens em Rede” de Cássia Correa Pereira, Marcelo Roberto Gobatto e Roger Neves Machado, do Rio Grande do Sul, que propõe a criação de uma interface audiovisual que conecte em tempo real dois espaços públicos – um ao sul e outro ao norte do país, ligando o Mercado Municipal de Porto Alegre ao Mercado…

Ver o post original 603 mais palavras

Selecionados e premiados 23º Mostra de Arte “Primeiros Passos” CCBEU – Belém

Fragmento da série "Desejo de Estrangeiro"  de Cinthya Marques - 2014
Fragmento da série “Desejo de Estrangeiro”
de Cinthya Marques – 2014

>>>

Premiados:
1º Lugar: Cinthya Marques do Nascimento
2º Lugar: Igor Felipe Santos de Oliveira
3º Lugar: Leonardo Vieira Venturieri

>>>
Menção Honrosa:
1. Elisa Arruda Kunz
2. Alexandre Lima de Moura

>>>
Selecionados:
01. Adan Bruno Costa da Silva
02. Ana Paula Rodrigues da Silva
03. Breno Luz Morais
04. Cláudio Fernandes Guimarães
05. George Marinho Marques
06. Hugo Foro Trindade
07. Izabela Guimarães Guerra Leal
08. Jefferson da Silva Ferreira
09. John Fletcher Couston Junior
10. Karina da Silva Martins
11. Keoma Calandrini de Azevedo Matheus
12. Maria do Socorro Chuva Simonetti
13. Matheus Muniz Lourenço de Souza
14. Pedro Oliveira e Silva Sampaio
15. Rutiel José da Trindade Felipe
16. Sarah Raquel Russel de Oliveira Miranda
17. Sérgio Pereira Cardoso
18. Silvio Williams do Carmo de Queiroz
19. Tarcísio Gabriel da Conceição Santos
20. Tatiane Batista Costa Ximenes
21. Verônica do Carmo Lima

>>>

Serviço:

Abertura e premiação: 02 de Dezembro às 19h

Visitação de 03 de Dezembro de 2014 a 09 de Janeiro.

>>>

Galeria CCBEU

Av. Padre Eutíquio, 1309. Belém-PA

[ENTRE] um lapso gostoso

BANNER 10
Uma iniciativa de vários artistas contemporâneos ocupa o Centro Cultural do Carmo, um espaço novo que a cidade ainda precisa conhecer, localizado em frente à Praça do Carmo.  A proposta do movimento surgiu da mesma forma que o local, de iniciativa própria. Diversos artistas foram se juntando, cada um contribuindo da forma que era possível, emprestando sua arte e seu talento para construir o movimento e se apropriar do espaço disponível.
Desta forma, surge o movimento [ENTR$] um lapso gostoso, que se iniciou com o artista plástico P.P. Condurú. Quando acabou a primeira exposição “Condurú”, a pauta ficou vaga. “Tinha uma brecha na programação e pensei em aproveitar para mostrar a outra parte do mesmo projeto que eu estou realizando, como tinha acabado de expor veio a ideia de convidar varias pessoas fazer um acontecimento lá”, explica o artista.
O convite foi por meio do Facebook, “Fiquei uns dias fazendo convites e a coisa foi organizando, aglutinando, todo mundo foi entendendo o que era e topou, assim, formou um movimento de pessoas que produzem e que se curtem”, completou.
A programação foi crescendo, uns artistas foram dialogando com os outros e tomando forma, em um processo que ainda está em construção. Até mesmo o nome surgiu de um convite, entre no espaço, entre no movimento, entre na pauta disponível, entre amigos.  “É entre a gente, entre no espaço, entre esse tempo que não tem nada lá, entre um tempo e outro, entre quem quiser que será uma coisa gostosa”, diverte-se P.P.
Sem maiores pretensões, os artistas foram se encontrando dentro da proposta. O ator, autor e diretor de teatro Adriano Barroso descreve o que significa este movimento para ele. “Ele é composto de artistas independente, que tem em comum a relação estreita com a cidade e suas cores e formas. A proposta é continuar a independência e ocupar os espaços da cidade com o que a gente sabe fazer de melhor”.
Outro que também se identificou foi o VJ Kauê Lima. “O P.P. Condurú me chamou para participar e eu aceitei de cara porque gosto do trabalho dele. Inicialmente seria apenas para fazer uma projeção mapeada em cima de um obra, mas, resolvi chamar o VJ Bode e o VJ Diogo Vianna para participar também. Como eu também estou em pesquisa e construção de um projeto de mapping com azulejo português, foi pura coincidência com o trabalho que o P.P. vai apresentar, vimos que fazemos algo semelhante e vamos mesclar tudo”.
As visitas ao Centro Cultural do Carmo podem ser feitas de 27 de novembro a 23 de dezembro, nos horários de 8h às 12 e de 14h às 17h, de segunda a sexta-feira e aos sábados das 9h às 13h. O espaço fica localizado na Praça do Carmo 40/48.
Saiba um pouco mais da mostra [ENTR$] um lapso gostoso
Programação…
dia 27 de novembro – 19h30
Abertura da exposição com desenhos e painéis de P.P. Condurú
Video Mapping de Kauê Lima, Bode e Diogo Vianna
Sonoplastia de Felipe Cordeiro e Arthur Kunz,
Videos-Arte de Luciana Magno, Ramiro Quaresma, Antônio Maurity e Juliana Notari
Dia 4 de dezembro – 19h30
Exposição com desenhos e painéis de P.P. Condurú
Lançamento do filme Ópera Cabloca, de Adriano Barroso
 …
Dia 11 de dezembro – 19h30
Exposição com desenhos e painéis de P.P. Condurú
Show intimista de Arthur Nogueira com leituras de poemas de Max Martins por Adriano Barroso, sugeridos por Marcia Huber
Dia 18 de dezembro – 19h30
Exposição com desenhos e painéis  P.P. Condurú
Bazar de artes, com obras variadas
by Lorena Claudino

Vigia – Museu Contextual

UFPA 2.0

Clique na imagem para visualizar a publicaçãoClique na imagem
para visualizar a publicação

VIGIA – MUSEU CONTEXTUAL foi um projeto idealizado e promovido pela Secretária Executiva de Cultura / SECULT, orientado a fazer com que a população local do município, visitantes e paraenses em geral, tomassem conhecimento do significado do valor histórico e patrimonial das edificações presentes em Vigia, cidade histórica e importante do nordeste paraense. Era um museu de rua, onde na frente de cada edificação, tinha-se um painel informativo a seu respeito e esta publicação, por meio de fotografias e textos, traz uma síntese do que foi o projeto.

O arquivo PDF disponível para download/visualização possui 48 páginas e e cerca de 9 MB.

Para fazer o download da publicação, Clique aqui.

Ver o post original

Projeto Circular Campina-Cidade Velha realiza segunda edição no próximo domingo (03/08), em Belém

Rede Casas do Patrimônio - Pará

Imagem Circular

Com mais parceiros, ideia é fazer com o que o público circule nos espaços de arte para estimular o cenário cultural dos primeiros bairros da capital paraense.

O projeto “Circular Campina-Cidade” realiza a segunda edição no próximo domingo (3), em diversos espaços de arte e cultura, em Belém. Desta vez serão 12 estabelecimentos que abrem suas portas para estimular a visitação do público nos bairros do centro histórico da capital paraense: Kamara Kó Galeria, Atelier da Michele, Atelier do Porto, Casa Dirigível Espaço Cultural, Elf Galeria, Associação Fotoativa, In Bust – Casarão dos Bonecos, Gotazkaen Galeria, loja de discos Discosaoleo, Restaurante Dona Joana, Restaurante Largo da Palmeira e Bar do Rubão.

Além disso, o projeto tem como parceiros institucionais o Fórum Landi, da Universidade Federal do Pará (UFPA), o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e a Polícia Militar do Estado do Pará (PM/PA). Esta edição terá ainda…

Ver o post original 1.238 mais palavras

Exposição “Sussurro dos Rios”, Belém-PA – Segunda Etapa

Adesivo Fosco em PVC 2mm 1x066m

_

 

Hiper_Espaços Xumucuís [Guamá/Jaguaribe] – Segunda Etapa

Contemplado no edital Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais 10a Edição, é uma iniciativa do blog Xumucuís,  com apoio institucional do Fórum Landi e UFPA, parceria A Senda, Casa Fora do Eixo Amazônia e Glocal Arts, em uma realização Funarte e Ministério da Cultura.

_

 

Serviço:

Fórum Landi, Cidade Velha, Belém-Pará – Atelier aberto de 16 a 21/06, de 09 às 17h

Bate-papo (Pós-TV) com os participantes do projeto dia 23/06 às 18h

Exposição “Sussurro dos Rios”, abertura dia 23/06 às 19h como visitação até 27/07/2014

 

 

Belém da Saudade

Publicação irretocável e importantíssima agora em PDF. Baixe e compartilhe.

UFPA 2.0

Clique na imagem para visualizar a publicaçãoClique na imagem
para visualizar a publicação

Na semana da XVIII Feira Pan Amazônica do Livro, lançamos aqui um dos mais importantes acontecidos editoriais dos últimos anos. Trata-se do livro “Belém da Saudade: A Memória da Belém do Início do Século em Cartões-postais”, cuja publicação foi devidamente autorizada pelo seu idealizador, o arquiteto Paulo Chaves Fernandes.

O arquivo PDF disponivel para visualização e download possui 290 páginas e cerca de 60 MB.

Para fazer o download da publicação,Clique aqui.

Ver o post original

Exposição “Sussurro dos Rios: Guamá, Jaguaribe”, João Pessoa-PB

Abertura Exposicao Cabo BRanco
Uma semana de expedições, vivências e compartilhamento de técnicas e processos. Artistas paraenses e paraibanos em diversas linguagens artísticas em processos colaborativos. Dois rios de imagens, signos e linguagens convergindo em um só espaço.
Uma realização Xumucuís, com apoio institucional da Prefeitura de João Pessoa, Estação Cabo Branco, Espaço Cultural Energisa e Espaço Mundo, parceria Fora do Eixo e Varadero, em uma realização Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais 10ª Edição – Funarte, Ministério da Cultura e Governo Federal.
Artistas Paraenses: Fabio Graf , Jeyson Martins, João Cirilo e VJ Rodrigo Sabbá
Artistas Paraibanos: Antônio Filho, Francisco Dantas, Potira Maia, Edilson Parra, Priscila Lima, Vanessa Guimarães, Thercles Silva, Shirley Tanure, Ton de Souza e VJ A. Richart
Coordenação de Produção (PB) : Maurise Quaresma
Assistente de Curadoria (PB) : Edilson Parra
Coordenação Geral: Deyse Marinho
Curadoria (PB): Dyógenes Chaves
Curadoria: Ramiro Quaresma
Serviço:
Exposição “Sussurro dos Rios [Guamá, Jaguaribe]
Onde: Estação Cabo Branco – João Pessoa (PB)
Visitação até 13 de Junho, de 09 às 21h.
Entrada Franca.

Artistas visuais paraenses em expedição

 

“Rio/ de muitos nomes/ Ser/ de muitas formas e fomes” esse trecho do livro “Porantim”, do poeta e professor de estética João de Jesus Paes Loureiro, foi a nascente desse projeto que tem na relação das cidades com seus rios e as periferias em suas margens sua proposta artística. Segundo Ramiro Quaresma, curador e idealizador do projeto “a arte como uma expedição sempre foi um projeto-sonho nosso, quando começamos o blog Xumucuís (do tupi, sussurro das águas). Depois de três edições do Salão de Arte Digital, vamos concretizar esse projeto criando um hiper_espaço conectando o Pará e a Paraíba, não apenas no ciberespaço, mas em uma experiência vivencial de múltiplas linguagens artísticas”.

 

O projeto «Hiper_Espaço Xumucuís [Guamá, Jaguaribe]», contemplado no Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais 10a Edição, fará um intercâmbio entre artistas visuais do estado do Pará e da Paraíba e tem na exposição «Sussurro dos Rios: Guamá/Jaguaribe» sua mostra de resultados e nas experimentações em grafite + pixo, fotografia + estêncil, pintura + intervenção e live cinema + mapping, com jovens artistas/instrutores paraenses. A exposição será pensada e montada de forma colaborativa na oficina “Curadoria em Multimeios” no próprio espaço expositivo. A primeira etapa acontece em João Pessoa na Paraíba no mês de maio em vários espaços da cidade e em junho em Belém no processo inverso. “Conhecemos pela internet vários artistas e produtores paraibanos, constatamos que pouco ou nada se sabia dos caminhos das artes visuais um do outro e esse projeto de intercâmbio pretende criar um link de arte e vida entre os participantes” diz Deyse Marinho, museóloga e coordenadora de produção do projeto.

A exposição tem curadoria de Ramiro Quaresma e Dyógenes Chaves, curadores do Pará e da Paraíba respectivamente, com os artistas Fábio Graf, Jeyson Martins, João Cirilo e Rodrigo Sabbá, que se juntarão a artistas paraibanos no projeto a partir das vivências em João Pessoa. A proposta curatorial é juntar artistas de múltiplas linguagens, que trabalhem em processos híbridos de criação artística com intervenção urbana, e proporcionar o surgimento de obras, individuais e coletivas, das oficinas no espaço Energisa, nas vivências no Espaço Mundo, para a exposição na Galeria da Estação Cabo Branco a ser aberta em 13 de maio de 2014. Em junho será a segunda etapa do projeto em Belém, onde artistas paraibanos selecionados entre as vivências virão a Belém para um novo ciclo de oficinas e exposição. Todas as atividades do evento são gratuitas. A única oficina com pré-requisitos de currículo para inscrição é “Curadoria e Multimeios”, as outras são abertas a todos os interessados com idades a partir dos 14 anos.

Projeto Paraiba Final Novo

«Hiper_Espaço Xumucuís [Guamá, Jaguaribe]» é uma realização Xumucuís, com apoio institucional da Prefeitura de João Pessoa, Estação Cabo Branco, Energisa, Espaço Cultural Energisa e Espaço Mundo, parceria Fora do Eixo e Varadero, em uma realização Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais 10a Edição, Funarte, Ministério da Cultura e Governo Federal.

 

 

SERVIÇO

 

Oficinas

 “Pintura + Intervenção Urbana” com João Cirilo

05 a 09/05 das 09 às 12h – Espaço Energisa

20 vagas

 

“Grafite + Pixo” com Fábio Graf

05 a 09/05 das 09 às 12h – Espaço Energisa

20 vagas

 

“Pinhole + Estêncil” com Jeyson Martins

05 a 09/05 das 14 às 17h – Espaço Energisa

20 vagas

 

“Live Cinema + Mapping” com Rodrigo Sabbá

05 a 09/05 das 14 às 17h – Espaço Energisa

20 vagas

 

“Curadoria em Multimeios” com Ramiro Quaresma

12 a 13/05 das 9 às 12h e 14 às 18h – Estação Cabo Branco

20 vagas

Bate-papo (Pós-tv) e vivências – Espaço Mundo

07, 08 e 09/05 a partir das 19h.

 

Exposição – Estação Cabo Branco

Abertura – 13 de Maio às 19h

 

Informações

xumucuis@gmail.com / (91) 8239 2476

 

A cultura do Edital para Arte

: ACRASIAS

SONY DSC

Nas duas últimas décadas, a cultura do Edital tornou-se endêmica e domesticou os artistas na prática de realizar “projetos”. No campo da própria estética, o artista há muito é tido como mero “propositor” – o que certamente facilitou sua inserção nos Editais públicos, a menos que tenha sido o contrário… No livro Antropologia do Projeto, J-P. Boutinet[1] discorre acerca da pregnância do “projeto” na contemporaneidade; sobre ele tecemos algumas reflexões relativas à arte:

A proposição, como limitadora da experiência que busca antecipar, reduz a arte de certo modo a um problema de pertinência. Circunscrevendo a obra dentro de “conceitos” teóricos que a referenciam, corre ela o risco de se tornar mera relação epistemológica de inferências – ou seja, “eu consigo depreender desta obra o pensamento do filósofo Fulano de Tal, etc”. Essa identificação entre signo (elementos da própria obra) com um fundo teorético de validação significadora cria um…

Ver o post original 818 mais palavras

Premiados no III Salão Xumucuís de Arte Digital

Salão Xumucuís de Arte Digital

A curadoria e a comissão do III Salão Xumucuís de Arte Digital tem a satisfação de anunciar as obras premiadas desta edição:

Prêmio Nacional: “O Barroco no Realismo Social” de Pierre Lapalu (PR)

Barroco Pierre

Prêmio Amazônia (empate):

“Mesmerismo” de Leo Venturieri

leo mesmerismo

e “o P1040257.mov de nossa memória periférica” de Matheus Aguiar e Lou Amancio.

2014-03-25 20.08.51

Parabéns aos premiados.

Ver o post original

Selecionados para o III Salão Xumucuís de Arte Digital

Salão Xumucuís de Arte Digital

A comissão presidida pelo curador e artista visual Armando Queiroz e composta pelo pesquisador e crítico de arte Gil Vieira e o pesquisador e artista visual João Cirilo, reunidos no dia 16 de Março de 2014 resolveram selecionar para o III Salão Xumucuís de Arte Digital os seguintes artistas para compor este edição:

Aldo Pedrosa (MG), Alexandre Silveira (SP), Ben Neumann (SP), Bruno Osório (RS), Cássia Correa Pereira, Marcelo Roberto Gobatto e Roger Neves Machado (RS), Chico Santos (PR), Coletivo Algodão Choque (DF), Diego de Los Campos (SP), Diogo Brozoski (RJ), Ednaldo Britto e Marcilio Costa(PA), Evna Moura (PA), Fernando Gregório e Victor Negri (SP), Fernando Velazquez e Giselle Beiguelman (SP), Henrique Montagne (PA), Hugo Nascimento (PA), João Agreli (MG), John Fletcher (PA), Leandro Dário (SP), Leonardo Venturieri (PA), Lou Amâncio e Matheus Aguiar (PA), Luisa Puterman (SP), Melissa Barbery (PA), Osvaldo Carvalho (RJ), Paul Setúbal e Veronica Noriega (GO), 

Ver o post original 64 mais palavras

Do Oiapoque ao Chuí com Luciana Magno

A artista visual Luciana magno parte em uma expedição saindo do extremo norte do Brasil e atravessa o país em uma vivência que pode ser acompanhada no site do projeto http://www.lucianamagno.com/telefonesemfio/. Um registro emotivo de descobertas por um Brasil múltiplo, provocando diálogos, registrando imagens e compartilhando. O projeto foi contemplado na décima edição do edital Redes Artes Visuais da Funarte e propõe um documentário ao final dessa jornada. O pé está na estrada, o caminho é o que importa. Boa viagem.

 

1509325_10152231642703898_141763278_n

Cruzando as cinco regiões brasileiras em um estúdio móvel, “Telefone sem Fio” faz um percurso por rodovias e hidrovias que somam aproximadamente 6.037km. Seu trajeto inicia na cidade Oiapoque, ao extremo norte do país, percorrendo 33 cidades entre os estados do Amapá, Pará, Maranhão, Tocantins, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, findando sua rota na cidade Chuí, ao extremo sul brasileiro.

1966907_10152231637653898_816453016_nDe caráter multiterritorial e multicultural, o projeto propõe o encontro via chamadas telefônicas entre moradores das cidades transitadas, através de ações propostas durante o percurso, além da formação de um arquivo documental em vídeo e áudio acerca da diversidade cultural, histórica e geográfica do Brasil. A viagem tem como foco o trajeto e as suas particularidades como fonte de pesquisa, contraste. Integrando o projeto, o website ganha alimentação contínua durante o percurso e um documentário a ser lançado em junho de 2014.

 

 

Prorrogadas as Inscrições até 15.03

Salão Xumucuís de Arte Digital

Prorrogacao Inscricao III

Até o dia 15 de Março de 2014 o III Salão Xumucuís de Arte Digital estará recebendo inscrições para sua exposição. Projetos de arte contemporânea em plataforma digital ou que dialoguem com as tecnologias midiáticas e apresentados em múltiplas interfaces serão selecionados para compor nosso >Circuito Expositivo> que terá início dia 25 de Março às 19h no Dispositivo #01 / Espaço Cultural Casa das Onze Janelas. Projetos em fotografia, video arte, web arte, intervenções, instalações, gravura digital, serão selecionados e premiado. São dois prêmios de 3.500 reais, um para artistas amazônicos e outro para projetos das outras regiões do Brasil. O edital você encontra emhttp://salaoxumucuisdeartedigital.wordpress.com/ assim como pode conhecer as duas edições anteriores, eventos independentes e pioneiros em arte e tecnologia no estado do Pará. Mais informações no mail xumucuis@gmail.com ou em nossa página no Facebook.

Ver o post original

Lúcia Gomes, 20 anos de Arte e Ativismo

Arte Lucia 20 anos Final ok

O Instituto de Artes do Pará receberá, de 11 a 14 de fevereiro, a exposição da paraense Lucia Gomes, chamada ARARA ARERE ARIRI Direitos Humanos ARORO ARURU – 50 anos de repúdio ao Golpe Militar – 20 anos Lucia Gomes – Salve a Justiça – Punição aos torturadores! Haverá mostra de obras da artista e realização de ações por parte da mesma e de outros participadores. A noção de liberdade (e seus paradoxos) e o respeito à vida e à justiça norteiam a produção exposta e as práticas de Lucia Gomes.

Inevitável para a artista, em sua militância humanista, o confronto com questões políticas e sociais de nosso tempo. Em duas décadas de uma produção complexa e ininterrupta, não foram poucas as vezes em que Lucia Gomes tocou assuntos que passam pela violação de direitos humanos, como as torturas no regime militar brasileiro. Sua mostra vem somar forças às manifestações decorrentes dos 50 anos de Golpe Militar no Brasil, buscando evidenciar tais memórias, ainda muito dolorosas.

Nascida em Belém do Pará em 1966, Lucia Gomes é uma artista irrequieta, e corrobora a ideia de que por meio da arte se modifica a maneira de pensar, agir, ver e sentir o entorno e o mundo. Além de exposições individuais e participação em coletivas em várias cidades e países, a artista possui uma vasta prática de ações artísticas e espaços públicos, e mesmo no espaço virtual. Desde 2007 radicou-se na Suíça, de onde instiga, provoca e mantém vínculos constantes com os seus, que ficaram do outro lado do Atlântico.

Na programação, além da mostra artística e das ações a realizar, haverá Mesas para discussão de temas que perpassam a exposição, como educação, direitos humanos, política e, é claro, criação artística. Entre os convidados estão nomes como Marisa Mokarzel, Paulo Fonteles Filho, Orlando Maneschy e Tadeu Lobato, além da participação de Lucia Gomes com relatos em todas as Mesas.

ARARA ARERE ARIRI Direitos Humanos ARORO ARURU – 50 anos de repúdio ao Golpe Militar – 20 anos Lucia Gomes – Salve a Justiça – Punição aos torturadores!

Local: Instituto de Artes do Pará

Período de visitação: de 11 a 14/02/2014

Curadoria: Gil Vieira Costa

Produção: Xumucuís

Coordenação da Ação Educativa: Mário Jardim

Chefe de Cerimônia/Ritual: Romário Alves

MESAS DE CONVERSA

Local: Auditório do Instituto de Artes do Pará

Hora: 19h às 21h

Mesa I

Data: 11/02

Convidados: Marisa Mokarzel, Tadeu Lobato e Vânia Leal

Mediação: Maria Christina

Mesa II

Data: 12/02

Convidados: Ednaldo Britto, Orlando Maneschy e Paulo Fonteles Filho

Mediação: Werne Oliveira

Mesa III

Data: 13/02

Convidados: Giza Bandeira, João Cirilo e Sissa de Assis

Mediação: Ramiro Quaresma

Mesa IV

Data: 14/02

Convidados: Arthur Leandro, Gil Vieira Costa e Jaqueline Souza

Mediação: Cledyr Pinheiro

COBERTURA

DIA 01 – 11/04/2014

Registro do mapping do VJ Rodrigo Sabbá no anfiteatro do IAP

Mapping – VJ Rodrigo Sabbá // Lucia Gomes 20 anos from ramiro quaresma on Vimeo.

19º Salão UNAMA de Pequenos Formatos – Programação de Encerramento

19A Universidade da Amazônia, sob a organização do Núcleo Cultural /Galeria de Arte “Graça Landeira” convida para a programação de encerramento do 19º Salão UNAMA de Pequenos Formatos que será realizada no período de 03 a 10 de fevereiro de 2014, na Galeria de Arte Graça Landeira,campus Alcindo Cacela.
*
Dia 03/02 ,às 19h
Encontro com os curadores Alexandre Sequeira, Marisa Mokarzel e Orlando Maneschy sobre ” O papel do curador em projetos de exposições de artes plásticas e visuais”.
*

Dia 06/02,às 15h

Projeção visual de resultados práticos dos alunos das turmas 2 AUV1 e 2AUV2 da disciplina Projeto da Forma II,do Curso de Arquitetura e Urbanismo da UNAMA.
*

Dia 06/02,às 19h

Encontro com os arte educadores Zenaide Paiva e Vania Leal sobre ” As ações educativas em exposições dearte.Resultados e experiências no circuito de Belém“.Participação de Admilton Jr,aluno do Curso de Artes Visuais e Tecnologia da Imagem da UNAMA.
*

Dia 10/02,às 18h

“Trajetória do Salão UNAMA de Pequenos Formatos. Resultados e perspectivas para a vigésima edição”,com o curador  Emanuel Franco.
Fonte: Emanuel Franco.